Durante a década de 1950, os chamados “Anos Dourados”, o ato de se vestir era algo bem mais elaborado. Um vestido, mesmo entre mocinhas da classe média era “projetado” meses antes, o tecido escolhido com muito cuidado, com cores e texturas selecionadas de acordo com a luz do dia, o tom da pele da jovem ou da senhora que iria usá-lo.
Havia sempre uma costureira fixa da casa que, de quando em vez, passava temporadas fazendo os guarda-roupas das moças e senhoras. Para o verão, para as férias, Festas, Inverno. Com saias eram sempre fartas, dando um belo movimento quando se caminhava.
Moda é algo apaixonante para mim. E há um livro que adoraria ter escrito. Chama-se “Amor, perdas e meus vestidos”, de Ilene Beckerman, da Rocco . “Um livro como este, único em sua proposta, garantiu o prestigioso The New York Times Review deveria vir dentro de uma de presentes da Tiffany.”
Ilene também é autora das ilustrações. Cada momento marcante da sua vida é registrado por um texto relatando o que se passou e pelo desenho da peça, veste, roupa, enfim aquilo que conferiu identidade ao momento.
Nisso me identifico totalmente com ela, por isso digo que “Amor, perdas e meus vestidos” _ um dos meus livros de cabeceira, é um livro que amaria ter escrito.

As fotos do post, por sinal magníficas, são do Pinterest.
Thereza Christina Jorge, editora do Arte de Envelhecer

 


PS: E como trilha sonora das nossas festinhas, a memória de Tom e Chico para a minissérie de Gilberto Braga, “Anos Dourados”, uma obra-prima, da Rede Globo.

 

Comentar ()

() Comentários

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por e-mail.


Sobre mim

Meu nome é Thereza Christina Pereira Jorge, sou carioca, mãe de dois filhos, jornalista. Fui repórter-editora nos jornais O Globo e sucursal Rio de O Estado de São Paulo. Trabalhei nas revistas femininas da Editora Bloch e na revista Isto É, também na sucursal. Sou formada em Ciências Sociais pela UFRJ. Este blog é muito biográfico porque estou descobrindo e praticando o que a OMS definiu como Envelhecimento Ativo. Amo a vida e o viver.




Recomendações

Blog Pong