Laura Cardoso foi o destaque no talk show dos atores, ao lado de Odilon Wagner, Ari Fontoura e Eva Wilma

 

Longevidade, Expo+Fórum foi tão bem-sucedida que em 2020 será repetida

 

Os três finalistas da II Chamada de Negócios da Longevidade – Aging2.0.

Durante três dias  (29, 30 e 1 de outubro), o público de todas as idades e áreas de interesse se reuniu no Expo Center Norte para assistir a palestras de especialistas no tema e conhecer as novidades desenvolvidas para os 50+ nas áreas de saúde, bem-estar, moda, finanças, cultura, moradia, turismo e mobilidade. Os participantes também contaram com atividades práticas como aulas para youtubers, oficinas de tecnologias, exposição de fotografias, oficinas de dança, desfile de moda e sessões de cinema.

O auditório montado no centro da feira de exposição serviu de palco para diversos debates e discussões sobre longevidade. Por ali, passaram nomes como os atores Odilon Wagner, Ary Fontoura, Eva Wilma e Laura Cardoso, a repórter de economia Mara Luquet e o velejador e economista Vilfredo Schurmann.

“Mediar o encontro de personalidades para falar sobre longevidade em diferentes abordagens é uma honra”, declarou Odilon Wagner, responsável por conduzir os painéis. O ator alertou para a importância de nos prepararmos para um novo mundo, onde a população idosa vai crescer substancialmente. “É importante pontuar que nossa geração já é uma geração de maduros diferentes do que era a geração de nossos pais e avós. Hoje estamos ligados em tudo o que acontece no mundo, trabalhamos aos 60, 70, 90 anos e começamos a nos sentir realmente maduros depois dos 60 anos. E a minha pergunta acaba sendo ‘será que a sociedade está preparada para isso?”.

Nomes importantes da medicina também subiram ao palco, como a médica especialista em reabilitação Linamara Rizzo Battistella, o geriatra Luiz Roberto Ramos e a psicoterapeuta e escritora Maria Célia de Abreu.

“Existe uma falsa ideia de que a infância é a idade maravilhosa e a velhice é ruim. Existem infâncias tristes e velhices muito boas. Mas para ter una velhice boa é preciso investir”, pontuou Maria Célia. “Velho não significa decrepitude. Velho significa anos. Nós estamos aí presentes no mundo”.

Na mesma direção, Linamara afirma que o ato de envelhecer é uma condição que varia de pessoa pra pessoa. “Vamos encontrar idosos de 17 anos e jovens de 70 anos (…). A vida continua sendo o grande remédio para todos os males”. E finaliza: “A maturidade traz muitas mudanças, mas não traz limitações se você souber tornar especial cada etapa da vida”.

Para Vilfredo Schurmann, o essencial é ter projetos de vida e trazer essa energia para quem está junto de nós. “Ter sonhos nos dá forças para viver melhor”, declarou o velejador.

Mas a grade atração do evento foi a atriz Laura Cardoso, que do alto de seus 92 anos desfilou simpatia e vitalidade. “O mais importante é amar a vida, é se amar. Amar o que a gente é e o que a gente faz”, disse a atriz, arrancando aplausos da plateia emocionada. “Eu já somo muitos anos de vida e, para mim, o principal segredo de viver mais e viver bem é você amar a vida com todos os seus altos e baixos. Eu amo acertar, amo errar, amo cair, amo levantar, isso tudo me faz ter propósito e objetivos. É preciso ter uma percepção mais leve da vida, acreditar em alguma coisa, acreditar em você, saber que o seu plano vai dar certo”.

Já o ator Ary Fontoura, 87 anos, em conversa com os jornalistas, aproveitou para cobrar mais atenção dos governantes às áreas de educação e saúde. “Há 80 anos, meu avô me disse que um povo saudável e educado faz uma grande nação. Há 80 anos eu espero que essas duas coisas sejam vistas como prioridade no meu país”, desabafa.

Durante a Expo, também foram anunciados os três finalistas da II Chamada de Negócios da Longevidade – Aging2.0. Ao todo, 125 startups se inscreveram projetos de soluções criativas e cheias de tecnologia para demandas específicas do público 50+.

O Instituto de Longevidade Mongeral Aegon foi parceiro do Aging2.0 na realização da Chamada de Negócios. Diretor do Instituto, Henrique Noya fez uma breve apresentação do cenário da longevidade no Brasil e dos trabalhos desenvolvidos pelo Instituto antes de chamar ao palco os representantes das startups vencedoras.

Abaixo as três startups vencedoras:

Tech Balance – a empresa desenvolveu um aplicativo para a prevenção de quedas. ico, o aplicativo gera relatórios e apresenta sugestão de tratamentos.

Up Care – voltado para idosos com alto grau de dependência.  ado quem cumprir rigorosos critérios seletivos.

Vip Eye – com foco nos portadores de deficiência visual, o aplicativo utiliza tecnologia de rastreamento para detectar e avisar obstáculos que podem causar acidentes.

Ao encerrar a premiação, o coorganizador do Aging Startup Search e diretor da Valormax Consulting, Sérgio Duque Estrada, anunciou o lançamento do Catálogo Seniortech, que lista uma série de empreendimentos de tecnologia criados no Brasil a serviço do público 60+. Os projetos estão mapeados por região. O objetivo do material é servir de ponte entre os projetos e empresas, investidores e instituições públicas e privadas, em nível mundial.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *