Aprenda a fazer Boas Compras e evite estes erros

Você é daquelas que mal pode esperar o dia “bom” do cartão de crédito para um passeio no shopping? Tem várias peças que foram moda em outras estações esquecidas no armário? Suas gavetas de maquiagem possuem itens idênticos? Vive reclamando que está com dívidas? Esses podem ser alguns sinais que suas habilidades na hora das compras deixam a desejar.
A grande dica da consultora de finanças Joyce Rezende para acertar nas escolhas é manter o foco nas prioridades, evitando consumir apenas por impulso. Se o intuito for economizar, é obrigatório pesquisar antes de sair de casa.
Percebeu que não tem o hábito de fazer nada disso e continua vendo o saldo da conta diminuindo? Calma! A boa notícia é que você pode economizar um pouquinho e ter artigos mais úteis, montando uma estratégia antes de sair às compras!
Confira os principais erros cometidos na hora de adquirir novos produtos e como evitá-los.
1. Ir às compras sem fazer a lição de casa
Na correria do dia a dia, não é difícil perdermos de vista alguma peça de roupa que ficou no fundo da gaveta ou daquele batom esquecido na bolsa de festa. Por isso, dê uma boa avaliada no guarda-roupa antes de sair às compras. “A ideia principal de adquirir novas roupas é completar o seu armário. Assim, pode fazer novas combinações. Se comprar um artigo que não se encaixa com nada do que tem, certamente terá que comprar novas roupas”, comenta Joyce. Ou seja, aí não compensa. Nos itens de beleza, a lição de casa evita que você tenha produtos em duplicidade, que podem acabar estragando.
2. Comprar itens básicos no shopping ou lojas de marca
Camisetas básicas e outros itens cotidianos costumam custar bem mais em lojas dentro de centros comerciais. Se a pedida for economizar, busque peças para uso diário em locais de compras populares e no comércio de rua. Muitas vezes, produtos de grandes marcas, como meias e lingeries, variam de preço de acordo com o ponto de venda. Vale a pena investigar!
3. Não provar peças de roupa ou testar itens de beleza
Se estiver com pressa e não souber se o tamanho é ideal para você, não leve! O mesmo vale para as maquiagens e perfumes: na dúvida da cor ou do cheiro, deixe para outro momento. Isso porque, se ao chegar em casa o resultado não for como você imaginou, vai acabar deixando o item de lado, sem trocá-lo.
4. Deixar-se levar pela moda
É verdade que sentimos vontade de comprar alguns itens que estão em alta, mas é preciso avaliar se essa compra vai valer a pena e se tem a ver com o tipo de roupa que você costuma usar. “Quantas peças vemos nos manequins que aparentemente são lindas e, ao prová-las, nos decepcionamos? Ao adquirir um produto que não é o seu estilo, a chance de usá-lo é minúscula”, lembra Joyce.
5. Comprar e não usar
Segundo Joyce, aquela ideia de adquirir um jeans 38 para se forçar a emagrecer é um erro. “Comprar roupas pensando que em algum momento do futuro irá usá-las, seja imaginando que irá emagrecer ou que a roupa vai ceder, ou então para um evento especial que ainda nem tem dia previsto, deixa bem alta a chance de que a peça fique guardada e sem utilidade por muito tempo”, orienta a especialista.
6. Levar algo que gostou “mais ou menos”
Comprar uma peça porque gostou mais da etiqueta de promoção que do modelo não é uma boa escolha. “No ato da compra, temos que gostar da roupa inteirinha. Um detalhe sequer que não esteja no agrado fará toda diferença e pode se tornar um empecilho na hora de usar”, ressalta.
7. Deixar a vaidade falar mais alto que o limite do cartão
Quanto você vai investir em um produto novo, deve estar de acordo com suas condições financeiras, sempre. “O que não pode acontecer é deixar a vaidade ser alimentada pelo endividamento. A compra deve ser consciente, sem impulso e planejada”, aconselha Joyce. Apostar em peças que não condizem com o estilo de vida também é erro comum. “Um look mais extravagante tem grande chance de atrapalhar as suas finanças e nunca ser usado”, pontua.


Conteúdo UOL 

Thereza Christina Pereira Jorge

Iniciamos com Viva com Beleza Envelhecimento Ativo há 10 anos. E estamos aprendendo a Arte de Envelhecer, e que Arte difícil! O site trata da descoberta do meu Envelhecimento Ativo. Consultoria em Envelhecimento Ativo [email protected] Meu nome é Thereza Christina Pereira Jorge, sou carioca, mãe de dois filhos, jornalista. Estudo há sete anos e Envelhecimento Ativo e escrevo sobre isso. Primeiro no blogue Viva com Beleza e agora no site Arte de Envelhecer. Fui repórter-editora nos jornais O Globo e sucursal Rio de O Estado de São Paulo. Trabalhei nas revistas femininas da Editora Bloch e na revista Isto É, também na sucursal. Sou formada em Ciências Sociais pela UFRJ. O site _ https://www.artedeenvelhecer.com.br _ é muito autobiográfico porque estou descobrindo e praticando o que a OMS definiu como Envelhecimento Ativo. Amo a vida e o viver. Tenho apreciado (às vezes) o meu envelhecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo