20150824-dicas

Todos os dias ouvimos ou lemos notícias de que a terceira idade está mais conectada. Nas bancas de jornal encontramos anúncios de introdução à informática para idosos.

Ao mesmo tempo em que nos aventuramos pela rede, vamos descobrindo as suas verdades e mentiras. Recentemente li na Veja que já existe um software para detectar erros em artigos e até flagrar fraudes científicas.

As redes sociais tornaram a disseminação da mentira algo tão veloz e poderoso como nunca se havia visto. O fato deu origem a um termo em inglês _ as fake news _. Elas têm efeitos destruidores.

Assim como um dia aprendemos a atravessar a rua agora nos cabe aprender a navegar na internet. Um cuidado que aprendi foi confiar na varredura dos provedores quando apontam a segurança ou a insegurança de um site.

Não abro e-mails de desconhecidos e já decorei a apresentação dos arquivos do meu banco. Mesmo a correspondência tarjada como “Importante/Urgente”, não abro.

Outra coisa: evito os sites de relacionamento para “maduritos” porque é aí que mora o perigo. Muitas senhoras encontraram o amor mas perderam o saldo bancário. Já participei de um mas paguei pela minha pesquisa. Foi bom e conheci cavalheiros bem interessantes…

É inegável as possibilidades que se abrem na Rede. E, principalmente, nos vídeos.

Pela primeira vez na história da comunicação temos como observar o que ocorre, em tempo real, não importa onde, por meio do olhar de qualquer um dos mais de 7 bilhões de habitantes do planeta que aponte sua câmera de celular para o que estiver acontecendo.

E temos também condições prosaicas como fazer compras, escolher profissionais, comparar preços e até descobrir as ofertas em supermercados e farmácias perto da gente através do aplicativo Guiato.

Aqui, estão dois vídeos com desenhos animados sobre segurança na Internet. Eles estão na minha playlist Arte de Envelhecer. São narrados em português de Portugal.

https://www.youtube.com/watch?v=JXgGJqygsuI&list=PLx-zmmn6I9wDRK5nJZMlTW4YveX0otIMe&index=15

https://www.youtube.com/watch?v=DBw3wepcu90&index=16&list=PLx-zmmn6I9wDRK5nJZMlTW4YveX0otIMe

Thereza Christina Jorge, editora

 

 

Comentar ()

() Comentários


Sobre mim

Meu nome é Thereza Christina Pereira Jorge, sou carioca, mãe de dois filhos, jornalista. Fui repórter-editora nos jornais O Globo e sucursal Rio de O Estado de São Paulo. Trabalhei nas revistas femininas da Editora Bloch e na revista Isto É, também na sucursal. Sou formada em Ciências Sociais pela UFRJ. Este blog é muito biográfico porque estou descobrindo e praticando o que a OMS definiu como Envelhecimento Ativo. Amo a vida e o viver.