Cérebro, anjo da guarda no envelhecimento

maio 5, 2016 0 Por Thereza Christina Pereira Jorge


Sabe ‘quem’ preserva o corpo no processo de envelhecimento? O cérebro. A recente descoberta foi feita por cientistas americanos durante pesquisa sobre o envelhecimento saudável.


Participaram do estudo 511 pessoas com 80 anos ou mais, que mantêm invejável resistência aos efeitos da idade, permanecendo intelectual e fisicamente ativos.

O objetivo era entender o que leva estes idosos a, independentemente de hábitos alimentares e exercícios físicos, serem capazes de superar a condição biológica e se manterem saudáveis.

Os voluntários, todos americanos, tiveram os DNAs analisados detalhadamente. A resposta não veio dos genes já identificados como relativos ao envelhecimento e à longevidade – que nem sempre vem acompanhada da saúde –, mas sim daqueles que ditam o funcionamento do cérebro.

Foi encontrada uma rara variação genética que torna o órgão capaz de se proteger do declínio, e as pesquisas indicam que essa é a chave para o corpo se manter conservado e saudável.

Os primeiros resultados foram apresentados no dia 21 de abril, apontando uma conexão entre a saúde cognitiva a longo prazo e a proteção contra doenças crônicas, e de males como Alzheimer e distúrbios coronarianos.
Os voluntários selecionados têm de 80 a 105 anos e não desenvolveram nem sequer males ligados à idade. “Achávamos que haveria uma sobreposição de grupos entre aqueles que permanecem naturalmente saudáveis e os que conseguem ter longa vida com auxílio da medicina moderna, mas não houve.


Concluímos que a proteção natural contra o declínio cognitivo está associada ao prolongamento da healthspan (o período da vida no qual a pessoa está geralmente saudável e livre de doenças sérias)”, diz o coordenador da pesquisa, Eric Topol (foto), diretor do Scripps Translational Science Institute (STSI), nos Estados Unidos. 

Compacto da IstoÉ Online