Com a população envelhecendo, a demanda por produtos específicos para a terceira idade cresce mais e mais. Pensando em antender uma demanda geralmente esquecida, a designer italiana Elena Tamburini criou uma coleção de quatro objetos que usamos diariamente mas que, agora, ganham a intenção de estimular o afeto entre idosos.

Ligada à beleza, a coleção é chamada de Filotea e conta com um espelho, uma escova corporal, uma mesa de centro e um andador. O design dos acessórios foi pensado como referência aos gestos, muitas vezes pouco lembrados, mas diários e importantes, como o cuidado e o toque, além da admiração pessoal e do seu parceiro. Dessa forma, as novidades buscam romper com o tabu do amor na terceira idade, encorajando as pessoas a expressar o amor e carinho em qualquer épcoa.

Do grego, Filotea faz referência à mitologia e é o nome da deusa Filotes, a personificação da afeição, da paixão e do sexo. É uma ode ao direito de se amar e ter prazer a qualquer idade.

Com apoios por todo o perímetro, o andador estimula o caminhar acompanhado e a dança a dois. O espelho, batizado de Otello, representa a sensação de cuidado e carinho. Penas presas a um aro podem ser passadas pelo rosto, provocando o toque e convidando os usuários a ter um momento íntimo e relaxante. Já a escova corporal é chamada de Filomena. Ela estimula a pele por meio de uma massagem sensorial. “O espelho e a escova trabalham o conceito de cuidado para redescobrir nossa sensualidade e nos dar momentos de prazer”, conta a designer ao site Dezeen. O conteúdo integral com todas as fotos está no site da CASAeJARDIM.

 

CASAeJARDIM

Comentar ()

() Comentários


Sobre mim

Meu nome é Thereza Christina Pereira Jorge, sou carioca, mãe de dois filhos, jornalista. Fui repórter-editora nos jornais O Globo e sucursal Rio de O Estado de São Paulo. Trabalhei nas revistas femininas da Editora Bloch e na revista Isto É, também na sucursal. Sou formada em Ciências Sociais pela UFRJ. Este blog é muito biográfico porque estou descobrindo e praticando o que a OMS definiu como Envelhecimento Ativo. Amo a vida e o viver.