Conserve seus Dentes

A boca dos idosos sofre diversas alterações com o passar dos anos. Além dos problemas com os dentes, eles também apresentam diminuição no fluxo salivar, retração das gengivas, alterações na língua, queilite actínica e candidose “Também são muito comuns problemas periodontais, com o amolecimento de dentes e em muitos casos perda de alguns deles.

A diminuição do fluxo salivar e o aumento da viscosidade da saliva são os mais comumente encontrados e podem ser potencializadas pela ação de medicamentos de uso contínuo e diário (cerca de 70% dos medicamentos ingeridos pelos idosos causam esse efeito), radioterapia para tratamentos de tumores malignos na região da cabeça e pescoço, estados emocionais debilitantes, entre outros, causando no paciente a “sensação de boca seca””, explica o dentista Leonardo Panza, da One Clinic, de Campinas.

Unmute

Além desses problemas, o profissional também diz que a língua despapilada que acontece por conta da diminuição das atividades da glândula também é comum e ocasiona a diminuição das papilas, aquele relevo natural da língua. “Acontece uma diminuição da percepção do tato, temperatura e paladar, prejudicando levemente a alimentação. A queilite actínica é uma alteração do lábio inferior, devido a exposição excessiva ou em longo prazo ao sol. Afeta principalmente indivíduos do sexo masculino e de pele clara. Sua evolução é lenta, sendo que a atrofia da borda do vermelhão do lábio inferior é a primeira manifestação clínica Deve e pode ser prevenida com o uso de protetor solar e chapéu com aba”.

Já a candidose é causada por um fungo chamado Candida Albicans. “A queixa principal do paciente é variada, podendo apresentar uma leve sensação de desconforto, ardor, queimação, gosto estranho e desagradável, algumas vezes halitose. Pacientes que utilizam próteses, e que não fazem a correta higienização delas, tendem a desenvolver candidíase na região de palato (céu da boca). Deve ser feito o uso de clorexidina para melhor higienização da mucosa bucal, o uso de antifúngico (sob orientação profissional) e a troca das próteses no tempo correto (geralmente a cada 5-6 anos)”.
Para alterações na gengiva, Dr. Leonardo explica que a prevenção com o auxílio de um periodontista é fundamental, de preferência com consultas periódicas a cada 6 meses, onde o profissional efetuará a remoção do tártaro com raspagens manuais ou com um aparelho chamado ultrassom.
Nos casos em que a perda dos dentes já aconteceu, o ideal é investir em próteses que devem ser confeccionadas por um profissional com o uso de implantes para melhora a situação. “O paciente idoso que apresenta deficiências de mastigação pode vir a ter problemas colaterais, devido a pior absorção dos nutrientes, decorrente da deglutição de pedaços grandes de comida. A reposição dos dentes com próteses de boa qualidade contribui e muito para a melhora da qualidade vida e da auto estima do paciente”, conclui.

UOL

Thereza Christina Pereira Jorge

Iniciamos com Viva com Beleza Envelhecimento Ativo há 10 anos. E estamos aprendendo a Arte de Envelhecer, e que Arte difícil! O site trata da descoberta do meu Envelhecimento Ativo. Consultoria em Envelhecimento Ativo [email protected] Meu nome é Thereza Christina Pereira Jorge, sou carioca, mãe de dois filhos, jornalista. Estudo há sete anos e Envelhecimento Ativo e escrevo sobre isso. Primeiro no blogue Viva com Beleza e agora no site Arte de Envelhecer. Fui repórter-editora nos jornais O Globo e sucursal Rio de O Estado de São Paulo. Trabalhei nas revistas femininas da Editora Bloch e na revista Isto É, também na sucursal. Sou formada em Ciências Sociais pela UFRJ. O site _ https://www.artedeenvelhecer.com.br _ é muito autobiográfico porque estou descobrindo e praticando o que a OMS definiu como Envelhecimento Ativo. Amo a vida e o viver. Tenho apreciado (às vezes) o meu envelhecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo