Envelhecimento Ativo é: desconstruir manias

 

Por que desconstruir manias? Porque elas pesam. Engordam e acabam cimentadas como parte da personalidade. As manias rapidamente são promovidas a hábitos. E o hábito faz o monge.

Os bons hábitos, segundo psicólogos, formam-se durante 90 dias de repetições. Os maus são adquiridos em 24 horas. Alguns em 12, 6 …e outros, os piores, imediatamente.

Tenho um amigo que mora numa bela e ampla casa. Ele é solteiro e tem uma filha, agora, moça. Quando eu era sua vizinha há 25 anos costumávamos tomar café da manhã juntos. Nunca encontrei o moço dormindo no seu próprio quarto. Na sala, numa cadeira enorme e linda, no sofá do living, no quarto de hóspedes, no quarto da filha “and so on.”

Um dia perguntei o que significava esse hábito. Ele explicou que não gostaria de ser um velho maníaco, com as coisas sempre nos mesmos lugares. “Só durmo no mesmo lado da cama”, só durmo com meus travesseiros, com meus livros sobre a mesa de cabeceira e etc. …”, disse.

Não sei se meu amigo continua a mudar o local em que dorme. Mudei e nunca mais tomamos café juntos. Pelo que sei, e diante das suas várias residências, ele não só mantém o costume como ele o repete em novas geografias.

Sei que as minhas manias só se fortaleceram com o meu envelhecimento. As falsas manias, que eu apelidava de bons hábitos, criaram raízes. E são muito incômodas.

Qual a diferença entre hábito e mania:  a  mania é ególatra, antipática e esnobe. Pode até parecer saudável, mas não é. Geralmente a mania é pessoal e intransferível. E ao se instalar vai tiranizá-lo (a) e aprisioná-lo (a).

Porque desconstruir e não simplesmente deletar: porque as manias são sensíveis e se afeiçoam a você e você a elas. Por isso a ideia da desconstrução; você vai fazendo aos poucos, nos seus melhores dias, sem sofrimento.

Tenho sido complacente com a minha coleção de manias. Na verdade, isso é uma estratégia porque enquanto mantenho as mais antigas vou desalojando as mais novas. Com sorte, consigo transformá-las em bons hábitos. Com sorte e com (muito) tempo.

Thereza Christina Jorge, editora

Thereza Christina Pereira Jorge

Iniciamos com Viva com Beleza Envelhecimento Ativo há 10 anos. E estamos aprendendo a Arte de Envelhecer, e que Arte difícil! O site trata da descoberta do meu Envelhecimento Ativo. Consultoria em Envelhecimento Ativo [email protected] Meu nome é Thereza Christina Pereira Jorge, sou carioca, mãe de dois filhos, jornalista. Estudo há sete anos e Envelhecimento Ativo e escrevo sobre isso. Primeiro no blogue Viva com Beleza e agora no site Arte de Envelhecer. Fui repórter-editora nos jornais O Globo e sucursal Rio de O Estado de São Paulo. Trabalhei nas revistas femininas da Editora Bloch e na revista Isto É, também na sucursal. Sou formada em Ciências Sociais pela UFRJ. O site _ https://www.artedeenvelhecer.com.br _ é muito autobiográfico porque estou descobrindo e praticando o que a OMS definiu como Envelhecimento Ativo. Amo a vida e o viver. Tenho apreciado (às vezes) o meu envelhecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo