PxHere

Nossa busca hoje em dia é por saúde e longevidade, não importa quanto anos temos. Procuramos uma infância e adolescência ativa, uma vida adulta plena e uma velhice sem limitações.

Como atingimos estas expectativas? Um artigo da revista Science de 2018, que acompanhou mais de 4000 pessoas de diversas idades por vários anos, conseguiu sugerir alguns fatores relacionados a longevidade. Os três principais pilares são: dieta equilibrada, atividade física regular e genética. Incrivelmente temos 2 fatores que só dependem de nós.

Não temos dúvida dos seus benefícios da atividade física durante toda a vida, o esporte melhora não apenas o condicionamento, mas também a saúde mental, uma vez que proporciona um impacto positivo na autoestima e na imagem que temos de nós mesmos. Mas como praticar e quais os nossos limites?

A prática de esportes pode e deve ser iniciada desde a infância e existem inúmeras atividades físicas adaptadas às crianças e adolescentes, que podem contribuir positivamente para o desenvolvimento. A recomendação é realizar atividades com intensidade moderada e de preferência em esportes coletivos para estimular a convivência e preparo físico. A musculação não é proibida, mas é importante ter cuidado com a quantidade de peso usada nos exercícios, cargas muito altas podem causar prejuízos ao crescimento e danos às articulações do membro inferior e coluna vertebral.  Para os jovens que têm preparo esportivo com o objetivo de serem atletas de alto rendimento, é importante ponderar a cobrança excessiva, que poderá resultar em frustrações.
Para os adultos, o céu é o limite, costumo dizer que não temos limitações, o nosso corpo e nossa qualidade física que nos impõe restrições. Podemos fazer qualquer atividade que nos preparemos para realizar. A frase que importa é: podemos tudo, mas nem tudo conseguimos. O preparo corporal para as atividades na vida adulta vêm do ganho de resistência com pouca carga e evoluir a nossa capacidade com aconselhamento de preparadores esportivos e quando necessário, médicos.

Quando ficamos mais velhos, recebemos dos anos passados uma memória muscular, ou seja, quanto mais ativos na infância e na vida adulta, mais capazes de realizar atividades na velhice teremos. Exercícios regulares melhoram a massa óssea, regulam os hormônios, o apetite e diminuem os riscos de doenças. Não há limitações, e sim recomendações. Devemos nos preparar progressivamente para as atividades de baixo impacto e evoluir conforme nosso corpo se adapta. O acompanhamento profissional é indispensável, ele nos ajuda e orienta a evoluir com segurança.

Algumas dicas:

– Evite começar uma nova atividade física sem o conhecimento do seu médico;
– Se você deseja testar atividades diferentes, faça uma consulta antes e trace uma estratégia;
– Evite competições se você não estiver com um bom condicionamento físico. Resistência, velocidade e flexibilidade são qualidades que vêm aos poucos, com a prática frequente;
– Sempre tome cuidado com a desidratação. Beba água regularmente durante o esforço físico e ao longo de todo o dia.

Longevidade à vista? Mantenha seu corpo em movimento

Tem dúvidas ou sugestões? Mande email para [email protected] 

Daniel Baumfeld – Especialista em Medicina e Cirurgia do Pé e do Tornozelo. Mestre e Doutor em Ortopedia. Professor Adjunto na UFMG

Portal UAI