Frágil? Nem tanto.

copos-inquebraveis-tubo-25cl-01

Apesar de o envelhecimento embutir o risco de um maior número de enfermidades, a maioria dos idosos vive de maneira independente e autônoma, mesmo quando tem doenças crônicas. No entanto, passamos por processo similar ao de uma poupança que aos poucos vai sendo dilapidada: com nosso corpo, ocorre o chamado estreitamento da reserva funcional – como uma represa em tempo de estiagem, nosso reservatório de energia vai baixando. Por isso a prevenção é tão importante, para garantir que permaneçamos mais tempo num patamar de vigor e robustez. 

Infelizmente, nos grandes centros, a insegurança e a precariedade urbana, como calçadas malconservadas, conspiram contra os mais velhos. Quem transpôs essa barreira de preservação da reserva funcional passa a ser classificado como portador de fragilidade – o que não é estar doente, e sim num estado de vulnerabilidade aumentada. 

Os marcadores que mostram a redução na capacidade de desempenho são perda de peso não intencional; diminuição da força de preensão palmar; desaceleração da velocidade de marcha em segundos; queixas de exaustão; baixo nível de atividade física. Indivíduos com três ou mais critérios presentes são considerados frágeis; aqueles com um ou dois critérios são classificados como pré-frágeis e os que não apresentam nenhuma das alterações mencionadas são considerados robustos.

Compacto da coluna Longevidade: Modo de Usar do Globo.com

Thereza Christina Pereira Jorge

Iniciamos com Viva com Beleza Envelhecimento Ativo há 10 anos. E estamos aprendendo a Arte de Envelhecer, e que Arte difícil! O site trata da descoberta do meu Envelhecimento Ativo. Consultoria em Envelhecimento Ativo [email protected] Meu nome é Thereza Christina Pereira Jorge, sou carioca, mãe de dois filhos, jornalista. Estudo há sete anos e Envelhecimento Ativo e escrevo sobre isso. Primeiro no blogue Viva com Beleza e agora no site Arte de Envelhecer. Fui repórter-editora nos jornais O Globo e sucursal Rio de O Estado de São Paulo. Trabalhei nas revistas femininas da Editora Bloch e na revista Isto É, também na sucursal. Sou formada em Ciências Sociais pela UFRJ. O site _ https://www.artedeenvelhecer.com.br _ é muito autobiográfico porque estou descobrindo e praticando o que a OMS definiu como Envelhecimento Ativo. Amo a vida e o viver. Tenho apreciado (às vezes) o meu envelhecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo