Nem tudo é negativo no envelhecimento …

outubro 30, 2017 0 Por Thereza Christina Pereira Jorge

Nem tudo é negativo no envelhecimento… O conteúdo é português mas serve para a nossa reflexão.

É a síntese de Élvio Jesus sobre o que foi dito na conferência ‘O idoso e o envelhecimento’, que se realizou, ontem, no Funchal: “Nem tudo é negativo no envelhecimento”. O dirigente da secção regional da Ordem dos Enfermeiros apontava, assim, para uma nova atitude, que é preciso adoptar pelo indivíduos, família e sistema de saúde.
A conferência da Ordem dos Enfermeiros contou com dois oradores convidados: Albino Gomes e Castro Caldas.
O primeiro apontou para a necessidade dos profissionais de saúde estarem atentos aos sinais que os idosos possam dar relativamente a negligência e/ou maus-tratos. Uma atenção que deve existir, tanto no domicílio como em ambiente hospitalar/centro de saúde.
Albino Gomes apontou para a existência de um em cada três idosos a ser vítima de algum tipo de violência, a maior parte dela, vinda do interior da família.
Castro Caldas alertou para a necessidade de os profissionais de saúde estarem atentos à singularidade do processo de envelhecimento. Se é verdade que cada pessoa é única, essa realidade é mais evidente no idoso. É preciso atender a aspectos como a interacção medicamentosa, a polimedicação e o excesso da intervenção de meios auxiliares. Há aspectos que não são normais no adulto, mas que o são no idoso. Por exemplo, colesterol a 210 ou pode não ser necessária uma ressonância para diagnosticar Alzheimer ou Parkinson.
A síntese da conferência pode ser feita afirmando que os desafios do envelhecimento passam, em grande medida pela capacitação do idoso, do cuidador e da família para lidar com o processo. Paralelamente, o sistema de saúde tem de se transformar e dar respostas adequadas, o que não passa apenas por consultas.
dnoticias.pt