Senado Urgente: asilos (ILPIs) não receberam nada do auxílio emergencial

Os R$ 160 milhões foram liberados mas não foram distribuídos às instituições. Segundo o portal do Senado Federal  “Abrigos de idosos não receberam nada do orçamento contra covid já liberado”.

Dos R$ 587,49 bilhões autorizados paras as ações emergenciais de combate à covid-19, R$ 451,69 bilhões (76,9%) já chegaram a seu destino. Foram liberados 100% dos recursos de socorro previstos para as micros e pequenas empresas (R$ 47,9 bilhões) e do financiamento da folha salarial de empresas de maior porte (R$ 17 bilhões). Mas, em sentido oposto, nenhum real foi concedido para as instituições de longa permanência para os idosos (Ilpis).

Os dados foram compilados pela Consultoria de Orçamento da Câmara dos Deputados desde o início da pandemia até o dia 15 de outubro. De acordo com a Lei 14.018, de 2020, o governo deveria reservar pelo menos R$ 160 milhões para socorrer os lares de cuidados aos idosos e desamparados.

Pela legislação, originária do PL 1.888/2020, da deputada Leandre (PV-PR), o dinheiro deve ser utilizado em ações de prevenção e de controle da infecção dentro das Ilpis; compra de insumos e de equipamentos básicos para segurança e higiene dos residentes e funcionários; compra de medicamentos; e adequação dos espaços para isolar casos suspeitos e leves.

Assessoria do Senado Federal

Abrigos (ILPIs) habilitados não receberam ainda auxílio emergencial

 

Executivo quita R$ 47,9 bilhões destinados ao socorro de microempresas na pandemia. Governo também já repassou 100% dos recursos para o financiamento da folha e a isenção da tarifa social de energia. Por outro lado, as instituições para idosos ainda não receberam nada.

De outro lado, segue com execução zerada o auxílio às instituições de longa permanência para idosos (R$ 160 milhões). O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) divulgou no último dia 13 o resultado parcial das instituições aptas a receber a ajuda.

No total, 3.360 instituições se candidataram, das quais 1.965 foram habilitadas. O prazo para que as demais 1.395 recorram da decisão termina nesta segunda-feira (19), às 23h59. O dinheiro será dividido considerando o número de pessoas atendidas em cada entidade habilitada.

O socorro financeiro às instituições de longa permanência para idosos foi proposto pela deputada Leandre (PV-PR)e outros três parlamentares por meio do Projeto de Lei 1888/20, que foi aprovado em maio pela Câmara e transformado na Lei 14.018/20.

Micro, Pequenas e Médias Empresas

Em julho, a Medida Provisória 991/20abriu crédito extraordinário para atender a nova lei. Essa MP perderá a validade em 12 de novembro se não for aprovada pelo Congresso.

O Poder Executivo concluiu os pagamentos dos R$ 47,9 bilhões destinados ao apoio às micro, pequenas e médias empresas em razão da pandemia. Os recursos devem possibilitar capital de giro e pagamento de salários nessas firmas, as que mais empregam no País.

Com isso, já são três as ações emergenciais com repasse integral dos recursos autorizados. As duas outras com 100% quitados são o financiamento da folha salarial das empresas maiores (R$ 17 bilhões) e a isenção da tarifa social de energia elétrica (R$ 900 milhões).

O orçamento criado neste ano para combater a Covid-19 acumulou até 15 de outubro quase R$ 587,5 bilhões em despesas autorizadas. Desse total, cerca de R$ 451,7 bilhões (76,9%) foram pagos, revela levantamento da Consultoria de Orçamento da Câmara dos Deputados.

 Agência Câmara de Notícias

 

 

 

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Para Bill Gates, a pandemia acaba para os ricos no final de 2021

Para  Bill Gates, magnata e filantropo,  ( 65 anos no dia 28 próximo), a pandemia da Covid-19 deve acabar, “para os ricos”, até o fim do ano que vem, enquanto o resto do mundo deverá esperar até os últimos meses de 2022 até se verem livres do novo coronavírus. A declaração foi feita em entrevista à Wired, no qual o empresário e fundador da Microsoft ainda afirmou que todos os testes para a doença feitos nos Estados Unidos são “completamente lixo, um desperdício”.

“São principalmente as pessoas ricas que estão tendo acesso a isso [os resultados dos exames]. Você precisa que o sistema de reembolso pague um pouco mais para ter os resultados em 24 horas, pague a taxa normal por 48 horas e não pague nada enquanto não estiver pronto. E quando sugerimos a eles [o governo federal] para mudar, eles dizem: ‘pelo que podemos dizer, estamos fazendo um ótimo trabalho, é incrível!'”.

Ainda assim, o empresário se mostrou otimista com a velocidade com que novas vacinas e tratamentos estão sendo pesquisados. “O pipeline de inovação na ampliação de diagnósticos, em novas terapias e vacinas é realmente muito impressionante. Isso se deve apenas à escala da inovação que está acontecendo”, avalia Gates.

A própria Bill & Melinda Gates Foundation está apoiando várias dessas iniciativas. Entre as vacinas que estão mais avançadas, o empresário destaca as baseadas em RNA (Moderna, Pfizer/BioNTech e CureVac) como as mais promissoras, porém mais difíceis de serem produzidas em larga escala. “Se forem úteis, ajudarão nos países ricos”, avalia.

Por outro lado, Gates acredita que a produção em quantidades massivas e a baixo custo pode vir dos estudos da AstraZenecaou Johnson & Johnson. “Esta doença, tanto dos dados com animais como dos dados da fase 1, parece ser muito evitável com vacinas. Ainda há perguntas. Vai demorar um pouco para descobrir a duração [da proteção] e a eficácia em idosos, embora pensemos que vai ser muito bom”, acredita o empresário.

Quando perguntado sobre qual tratamento pediria ao seu médico, caso estivesse internado com Covid-19, Gates citou o antiviral remdesivir. “Infelizmente, os testes nos EUA têm sido tão caóticos que o efeito real comprovado é um pouco pequeno. Potencialmente, o efeito é muito maior do que isso”. O empresário ainda comentou os testes feitos com outra substância, a dexametasona, em casos mais graves.

O remdesivir, um antiviral desenvolvido pela farmacêutica Gilead Sciences originalmente para combater o vírus do Ebola, teve seu uso e venda liberados em junho pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA) para o tratamento da Covid-19. A indicação do órgão é que a substância ? primeira a ser recomendada pela União Europeia ? seja utilizada em adultos e adolescentes, a partir dos 12 anos de idade, com pneumonia e que necessitem de suplementação de oxigênio.

Já a dexametasona é um corticoide que pode ser usado para problemas na pele, alergias, complicações respiratórias e até mesmo no tratamento do câncer. No tratamento da Covid-19, sua aplicação mira encarar um efeito específico da infecção, conhecido como “tempestade de citocinas“.

Wired/https://amp.olhardigital.com.br/

Eles Envelhecem Bem _ Lélia e Sebastião Salgado, 73 e 76 anos

Uruguai, país mais idoso do continente, vence o covid-19, e inicia o “Turismo Saudável”

Punta Del Este em 2019

Hoje pela manhã será apresentado às autoridades  no Uruguai um protocolo de “turismo saudável” com o objetivo de promover o turismo durante a pandemia do coronavírus. O documento foi entregue na última quarta-feira da semana passada às autoridades de turismo do Uruguai, pela Associação Uruguaia de Agências de Viagens (Audavi), a Câmara Uruguaia de Hotelaria e Turismo, o Centro Hoteleiro La Paloma e o Punta del Este Hotel Center.
Héctor Araújo, presidente do Punta del Este Hotel Center, explicou em entrevista coletiva naquela cidade que “oficialmente” o Ministro do Turismo prometeu apresentar o protocolo ao Grupo Honorário de Assessoria Científica e a Daniel Salinas, Ministro da Saúde, hoje,  7 de outubro para analisar se aprovam o protocolo e se mudanças devem ser feitas.

Ministro Daniel Salinas

A proposta de “turismo saudável” é uma “alternativa intermediária e necessária” para os hotéis cumprirem este protocolo. Como as fronteiras não podem ser abertas ao turismo de massa, foi criado um protocolo para que “sem riscos, nos permitam seguir avançando gradativamente em direção ao objetivo final”, afirmaram as quatro organizações em comunicado.
Este protocolo é uma “solução valiosa com uma percentagem muito elevada de segurança que não irá gerar contágio”, acrescentou o comunicado. O país registrou em setembro um total de 48 óbitos.
Para a implementação do turismo saudável, propõem: PCR com no máximo 72 horas; seguro saúde contratado ao entrar no país; Estadia obrigatória por sete noites em hotel cadastrado e com certificação de operador responsável; faça outro teste após sete dias (pagamento pelo hotel). Em caso de negativa, o turista tem livre circulação no país. Em caso de teste positivo, “continuará em quarentena no hotel às custas do passageiro, a menos que seja necessária hospitalização”.
Além disso, o protocolo estabelece que pessoas de qualquer idade e nacionalidade poderão ingressar, desde que cumpram o disposto acima.
E, finalmente, propõe-se que os hotéis cumpram um rígido protocolo aprovado pelo governo uruguaio. Se forem detectadas irregularidades, elas serão desabilitadas e penalizadas.
Segundo Araújo, eles se concentraram nos turistas que querem vir ao Uruguai, mas não são residentes ou iniciaram os procedimentos para ser. Esse protocolo, garante, é voltado para quem quer ficar no país durante toda a temporada.

O País / GDA

Homenagens para Paulo Paim, o autor do Estatuto do Idoso

O senador gaúcho Paulo Paim (PT-RS), 70 anos, é  o autor da lei LEI 10.741, DE 1º DE OUTUBRO DE 2003 que instituiu o Estatuto do Idoso (EI). Curiosamente, Paim é o grande homenageado na data.

Segundo a colunista Rosane do Nascimento  do jornal GauchaZH, o político foi apontado como uma das pessoas negras mais influentes do mundo em 2020. E o senador mais bem avaliado na votação popular do Prêmio Congresso em Foco 2020, com mais de 43 mil votos na pesquisa realizada na internet.

Ninguém discute a abrangência ou a modernidade da legislação que abarca todos os aspectos protetivos da pessoa idosa. A crítica é  a sua não-implementação. O EI não originou um repertório de políticas públicas que o levasse à prática, justamente quando o Brasil se prepara para um envelhecimento demográfico acelerado.

Estima-se que a população idosa seja de 28 a 31 milhões de brasileiros. O número preciso ainda ficará por conta do próximo  censo do IBGE.

A observação do senador Paulo Paim é muito objetiva  sobre a lei. Ele diz que o primeiro objetivo foi cumprido: chamar a atenção para os idosos e a moderna maneira de dar-lhe protagonismo social através da prática do Envelhecimento Ativo (OMS/ONU – 1993).

Isso é real. Pelo menos em, um aspecto controvertido do envelhecimento populacional. Nas manchetes de todo mundo, a pandemia nas instituições de Longa Permanência para idosos (ILPIs, antigos asilos). O estatuto trata do assunto no artigo 35.

No Google, há até agora (outubro 2020) cerca  de 20 páginas sobre as Instituições de Longa Duração (antigos asilos) que é abordada no estatuto. Ela tem concentrado óbitos e contaminação por força da sua clientela, primeira opção no  grupo de risco, em todo mundo.

Um documento do Ministério da Saúde do início deste ano (24/03/20)  aponta o risco potencial de que o novo coronavírus atinja 11.732 idosos que vivem em instituições de longa permanência, como são chamados hoje os antigos asilos.

O cálculo considera a existência de 78.216 pessoas com mais de 60 anos vivendo em instituições vinculadas ao SUAS _ Sistema Único de Assistência Social _  que inclui as entidades que recebem verbas públicas- e uma estimativa de 15% de incidência da doença. As instituições

A taxa tem referência em parâmetros de casos de síndrome gripal, segundo técnicos da pasta.

O documento estima ainda que, entre os casos, ao menos 2.346 podem precisar de internação hospitalar. Desses, metade, de assistência em UTI por até 21 dias. O texto não cita índice de letalidade.

A estimativa faz parte do “Plano nacional de contingência para o cuidado às pessoas idosas em situação de extrema vulnerabilidade social”, elaborado pela secretaria de atenção primária em saúde do ministério e publicado em sistema interno da pasta na sexta-feira (24/03/20).

Thereza Christina Pereira Jorge

Estatuto do Idoso comentado

Estatuto do Idoso para download em PDF

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.741.htm

O Estatuto do Idoso foi criado com objetivo de garantir e resguardar os direitos dos idosos. No Brasil são consideradas idosas aquelas pessoas com idade igual ou superiores a sessenta anos de idade.

Nesta idade as pessoas têm suas habilidades regenerativas limitadas, ocorrendo mudanças físicas, sendo que o desenvolvimento de doença é mais comum nesta faixa etária.

O aumento da população com mais de 60 anos no mundo foi muito grande nos últimos 10 anos. Segundo dados do (IBGE) Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a população de idosos será maior que a de crianças com até 14 anos já em 2030.

O idoso tem todos os direitos que dizem respeito à pessoa humana, sem nenhum prejuízo em razão da idade, sendo assegurado por lei ou por outros meios todas as oportunidades e facilidades para preservação de sua saúde física, mental, moral, social em condições de liberdade e dignidade.

A família, sociedade e o poder público têm por obrigação garantir ao idoso, efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação à cultura, ao esporte, ao lazer e principalmente ao respeito

Direitos Fundamentais

· O envelhecimento é um direito que ninguém pode tirar do ser humano, e é dever do Estado garantir condições dignas, mediante efetivação de políticas sociais públicas que permitam um envelhecimento saudável.

· É obrigação de todos assegurar a Liberdade e o respeito das pessoas idosas bem como seus direitos civis, políticos, individuais e sociais, garantidos na Constituição Federal e nas leis.

Direito aos Alimentos

· Os familiares têm por obrigação garantir os alimentos à pessoa idosa, sendo que a obrigação alimentar é solidária, podendo o idoso optar por quem irá prestá-lo.

· Na falta de condições do idoso ou de seus familiares em prover seu sustento, caberá ao Poder Público esse provimento, no âmbito da assistência social.

· Serão celebradas perante o Promotor de Justiça as transações relativas aos alimentos tendo efeito de título executivo extrajudicial nos termos da lei processual civil.

Direito à Saúde

· O Sistema Único de saúde (SUS) tem a obrigação de assegurar a atenção integral à saúde do idoso, seu acesso deverá ser universal e igualitário tanto para o idoso como para qualquer outra faixa etária.

· Sendo que as ações e serviços para a prevenção, promoção, proteção e recuperação da saúde, possuem atenção especial às doenças que afetam preferencialmente os idosos.

· O sistema de prevenção e a manutenção da saúde dos idosos serão feitos por meio de cadastramento da população idosa, por pessoas especializadas na área de geriatria e o atendimento será domiciliar.

· É dever do Poder Público fornecer aos idosos, seus medicamentos gratuitamente, principalmente os de uso contínuo assim como outros recursos como próteses e recursos para tratamento de habilitação ou reabilitação.

· No caso de planos de saúde particulares, a cobrança de valores diferenciados em razão de idade é proibida, pois a partir dos 60 anos o valor deverá ser o mesmo.

· O idoso que precisar ser internado em hospitais tem o direito a acompanhante, e sendo proporcionadas condições adequadas para sua permanência.

· Em caso de suspeita ou confirmação de maus-tratos ou abandono contra idoso os profissionais de saúde terão a obrigação de comunicar os órgãos públicos.

Direito à Educação, Cultura, Esporte e Lazer

· O idoso tem direito à educação, cultura, esporte e lazer, diversões que lhes tragam bem estar e respeitem suas condições de idade.

· Essas atividades poderão ser garantidas através do Poder Público que deverá disponibilizar um espaço adequado e materiais didáticos necessários.

· Os idosos poderão participar das atividades culturais e de lazer sendo proporcionado desconto de pelo menos 50% nos ingressos, bem como acesso preferencial aos locais.

Direito a Assistência Social

· A assistência social será prestada quando o idoso a partir de 65 anos não possuir meios para prover seu sustento, nem sua família puder provê-la. Assim sendo garantido o benefício mensal de 1 salário-mínimo, nos termos da lei.

· Todas as entidades de longa permanência, ou casa-lar, são obrigadas a firmar contrato de prestação de serviços com a pessoa idosa abrigada.

· Em caso de entidades filantrópicas, ou casa-lar, é facultada a cobrança de participação do idoso no custeio da entidade, sendo que não poderá exceder a 70% de qualquer benefício previdenciário ou assistência social percebido pelo idoso.

· Em caso de pessoa idosa incapaz, o contrato deverá ser firmado pelo seu representante legal.

Direito a Habitação

· É direito de todo idoso ter moradia digna, sendo no seio familiar natural, sozinho se assim desejar, em instituição pública ou privada.

· Se o idoso não tiver família ou não possuir recursos financeiros próprios para se manter, será prestada assistência integral na modalidade de entidade de longa permanência.

· As instituições que abrigarem os idosos têm a obrigação de manter padrões de habitação compatíveis com suas necessidades bem como alimentação e higiene.

Direito ao Transporte

· É assegurada aos maiores de 65 anos a gratuidade nos transportes de usos públicos urbanos e semi- urbanos, exceto serviços seletivos especiais, quando prestados paralelamente aos serviços regulares.

· O idoso deve apresentar qualquer documento pessoal que faça provar sua idade para ter acesso à gratuidade nos transportes, sendo reservados 10% dos assentos para idosos nos transportes coletivos.

Medidas de Proteção

· As medidas de proteção ao idoso são aplicáveis sempre que os direitos reconhecidos no Estatuto do Idoso em seu art. 43

· Cabem às instituições governamentais e não governamentais da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios.

Promover serviços especiais de prevenção e atendimento às vítimas de negligência, maus-tratos, exploração, abuso, crueldade e opressão.

· Serviços de identificação e localização de parentes ou responsáveis por idosos abandonados em hospitais e instituições de longa permanência.

· Proteção jurídico-social por entidades de defesa dos direitos dos idosos.

As entidades de atendimento aos idosos são responsáveis pela manutenção das próprias unidades, deverão oferecer instalações físicas em condições adequadas de habilitação, higiene e segurança. Estar regularmente constituída e demonstrar a idoneidade de seus dirigentes.

As entidades de atendimento aos idosos governamentais e não governamentais poderão ser fiscalizadas pelos Conselhos do Idoso, Ministério Público, Vigilância Sanitária e outros previstos em lei.

Poderão ser penalizadas com multa, às entidades que deixarem de atender as determinações necessárias para o bem estar dos idosos dependentes.

A intenção do Estatuto do Idoso é garantir e eliminar as discriminações, violência e maus tratos praticados contra a pessoa idosa. Porém esta realidade está longe de acontecer de maneira definitiva. Um exemplo simples é a falta de informação que impede o exercício efetivo da cidadania principalmente das classes sociais baixas, que muitas vezes tem os direitos de seus familiares idosos violados e não tomam nenhuma providência.

Assim para que as normas sejam colocadas em prática o indivíduo deve ter capacidade de analisar e compreender a realidade e se proteger contra a falta de política pública, no amparo às necessidades da população idosa. De modo que está bem claro que é dever da população, familiares e do Estado garantir o bem estar e a qualidade de vida dos idosos.

Gabriela Franco Berto de Oliveira

 

 

 

 

 

Dias do Idoso/Idosa e um diário do Envelhecimento

Duas datas comemoram o Idoso/a Idosa. Hoje, o Dia Nacional e o 1° de Outubro, celebrada internacionalmente.
No dia 1º de outubro, comemora-se o Dia do Idoso, pessoa que possui idade igual ou superior a 60 anos. Essa data, que marca o dia em que a Lei N°10.741 (Estatuto do Idoso) entrou em vigor, é fundamental para reforçar a importância da proteção a esse público e para reavaliarmos nossa atitude com relação aos idosos.

O blog Aprendendo a Envelhecer é o meu diário de envelhecimento. Comecei a escrevê-lo há nove anos, aos 63 anos.
Pequenas histórias que vão sendo atualizadas. Esta é uma delas.

Avisaram que agora tenho uma Hóspede
Ninguém sabe quando começa a envelhecer… … avisaram que receberia uma hóspede irrecusável. Uma pessoa muito próxima com temperamento um…

As golas da juíza Ruth Bader Ginsburg

As golas de Ruth Bader Ginsburg e o seu significado; além de um acessório de moda

Ginsburg sabia que cada gesto seu, cada imagem, seriam notados e dissecados. Portanto, todas tinham de ser imbuídos de significado, mesmo se tivesse a ver apenas com seus acessórios

Em 2014, a juíza da Suprema Corte Ruth Bader Ginsburg, uma pioneira no campo legal e defensora do tratamento igual dos sexos que faleceu na semana passada, fez algo que provavelmente nenhum dos seus colegas jamais imaginariam. Ofereceu um tour do closet do seu gabinete.

Foi durante uma entrevista concedida a Katie Couric, depois de a juíza apresentar seu voto dissidente na decisão do processo Burwell versus Hobby, em que a Corte respaldou tese da companhia contestando artigo do Affrordable Care Act, que determina que as empresas que pagam um plano de saúde para os empregados cubram os custos de contracepção, alegando motivos de liberdade religiosa.

Ao abrir as imponentes portas de madeira do seu guarda-roupa, a juíza mostrou, de um lado, as longas togas pretas usadas no tribunal e, de outro, tomando mais da metade do espaço, sua grande coleção de colares e golas elaboradas. Elas vinham, disse, “do mundo inteiro”.

Tinha uma para cada ocasião e para qualquer tipo de manifestação na Corte. Do mesmo modo que o seu apelido, “A Notória R.G.B”., simbolizando sua posição como uma heroína da cultura pop nos seus anos mais recentes, as golas e colares serviam como um estudo de semiologia e semáforo: sinalizavam suas posições antes de ela abrir a boca e representavam seu papel único como a segunda mulher da mais alta Corte do país.

Iluminando como um farol no mar escuro das togas dos juízes, os colares eram algo inconfundível nas fotos e na sala do tribunal. Embora o legado de jurisprudência de Ginsburg seja a sua mais importante dádiva para a história, sua compreensão do que ela também significava como um modelo a seguir era inegável.

Como uma excepcional estudante de Direito mulher – sem falar da sua rara posição como advogada – ela se habituou a ser uma pessoa incomparável. Sabia que cada declaração que fazia, cada gesto seu, cada imagem, seriam notados, selecionados e dissecados. Todas as suas decisões eram importantes.

Portanto todas tinham de ser imbuídas de significado. Mesmo se tivesse a ver apenas com colares. Em 2009, em uma entrevista para o The Washington Post, ela explicou como sua coleção teve origem: “Sabe, a toga padrão é feita para um homem porque tem um lugar para a camisa e para a gravata”, ela afirmou.

Assim, Sandra Day O’Connor, a primeira juíza da Corte, “achou que seria apropriado se incluíssemos como parte da nossa toga algo típico de uma mulher”. Elas não esconderiam seu sexo ou fingiriam que a posição estava além disto. Era parte da sua posição. Ela usou muito um colar bege e amarelo de crochê preso a uma corrente de ouro, com pérolas na bainha, um presente de seus colegas, quando se pronunciava para a maioria da Corte.

Seu colar da dissensão, com pedras preciosas pontiagudas sobre uma faixa preta, da Banana Republic, um presente que recebeu quando foi nomeada Glamour Woman of the Year em 2012, ela usava quando apresentava seu voto dissidente da tribuna. (Ela também o usou no dia depois da eleição de 2016, o que ninguém achou ter sido uma coincidência: o colar da dissensão ficou tão famoso por si mesmo que foi memorizado em joias, ímãs e tatuagens).

O colar de crochê com as bordas em preto (da loja de presentes da Metropolitan Opera) réplica da usada por uma personagem de uma ópera de Verdi que assistiu, ela usou quando recebeu seu diploma honorário em Harvard (junto com Plácido Domingo, que cantou para ela. E também havia a sua favorita, um colar branco delicado da Cidade do Cabo, África do Sul.

Prestar atenção ao que uma mulher poderosa veste com frequência é algo rejeitado como sendo uma maneira de diminuí-la. Mas não prestar atenção neste caso é desrespeitar a atenção aos detalhes que marcaram o trabalho da juíza Ginsburg em todas as suas dimensões. Afinal, uma manopla pode ter sido um dia uma luva de metal, mas às vezes pode ser uma gola de renda. E isto não torna contestação de um status quo antiquado menos eficaz.

Obs: na logo da página o texto traduzido é o seguinte: “Lute por aquilo que acredita mas de tal modo que atraia seguidores. “

Estadão Digital