Plantas que Rejuvenescem

Um time de pesquisadores da Concordia University, no Canadá, encontrou seis grupos moleculares com os maiores poderes antienvelhecimento já vistos na história da ciência. Das substâncias encontradas, a mais poderosa vem do Salgueiro Branco (foto). 

O estudo mostrou que ela pode aumentar o tempo de vida médio da levedura em 475%, e o tempo de vida máximo em 369%. É um potencial jamais visto em toda a literatura científica, mesmo quando comparado às drogas antienvelhecimento que já conhecemos. 

A Ginkgo Biloba, conhecida como Nogueira do Japão, foi outra planta usada no processo. Árvore de origem chinesa, ela existe há mais de 150 milhões de anos, tendo convivido até com os dinossauros. 

Ela também chegou a brotar no Japão mesmo em meio à radiação das bombas atômicas lançadas em Hiroshima, em 1945, e por isso ficou conhecida como a árvore da paz. 

As outras três plantas que deram origem às substâncias descobertas são um pouco mais comuns: a Valeriana, usada como tranquilizante, o Maracujá usado para induzir o sono, e o Salsão, ou Aipo,  para completar a sua salada. 
Os estudos mostraram que cada um deles tem um efeito diferente nas leveduras, mas que todos têm algumas coisas em comum: diminuem a oxidação das células sofrem, uma das maiores causas de envelhecimento, e ajudam a reforçar a membrana protetora da célula, o que reduz bastante os danos sofridos ao longo da vida celular. 
Compacto Super Online

Thereza Christina Pereira Jorge

Iniciamos com Viva com Beleza Envelhecimento Ativo há 10 anos. E estamos aprendendo a Arte de Envelhecer, e que Arte difícil! O site trata da descoberta do meu Envelhecimento Ativo. Consultoria em Envelhecimento Ativo [email protected] Meu nome é Thereza Christina Pereira Jorge, sou carioca, mãe de dois filhos, jornalista. Estudo há sete anos e Envelhecimento Ativo e escrevo sobre isso. Primeiro no blogue Viva com Beleza e agora no site Arte de Envelhecer. Fui repórter-editora nos jornais O Globo e sucursal Rio de O Estado de São Paulo. Trabalhei nas revistas femininas da Editora Bloch e na revista Isto É, também na sucursal. Sou formada em Ciências Sociais pela UFRJ. O site _ https://www.artedeenvelhecer.com.br _ é muito autobiográfico porque estou descobrindo e praticando o que a OMS definiu como Envelhecimento Ativo. Amo a vida e o viver. Tenho apreciado (às vezes) o meu envelhecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo