Puro ou misturado? No frio, chá é tudo de bom

julho 26, 2016 0 Por Thereza Christina Pereira Jorge
Uma grande xícara de chá aquece e conforta nos dias frios. Puro ou em versões com outros ingredientes, o chá é extremamente versátil, permitindo diversas misturas ricas em aroma e sabor.
Há uma diferença entre as bebidas: como apontam os especialistas, o chá verdadeiro é aquele preparado com as folhas da planta Camellia sinensis, que dá origem aos tipos verde e preto, entre outros. No Brasil, a palavra “chá” é usada para qualquer tipo de bebida quente feita com folhas e flores, mesmo que não contenha Camellia sinensis. “O termo técnico seria infusão ou, como dizem os portugueses, tisana”, diz Carla Saueressig, da paulistana A Loja do Chá – Tee Gschwendner.

Já as bebidas elaboradas apenas com frutas, flores e ervas, como camomila, mate e hortelã, são chamadas tecnicamente de infusões.

Independentemente do tipo ou do termo utilizado, observar algumas regras simples é importante para se obter o melhor de cada bebida. Aprenda a identificar os tipos diferentes de chás e a preparar suas próprias combinações.

Branco, verde, preto
A partir da Camellia sinensis, originária do sul da China e do sudeste da Ásia, elaboram-se tipos diferentes de chá, como o branco, verde, preto e oolong, todos disponíveis no mercado brasileiro. A diferença entre eles está na oxidação das folhas. “Para a planta virar o chá, ela passa por vários processos importantes, desde o cultivo e a colheita, como separação e a secagem”, explica Érika Kobayashi, especialista no tema. “Dependendo do que acontecer nessas etapas, a bebida vai ter uma característica diferente de cor e sabor”, diz ela.

O chá branco, por exemplo, é pouco oxidado, por isso parece mais suave no paladar. O preto, bastante consumido no mundo todo, é mais intenso e marcante, com maior teor de oxidação de suas folhas. Algumas variedades, como o pu-ehr chinês, chegam a ser envelhecidas por anos, o que lhes confere características muito particulares.
O matchá, queridinho dos confeiteiros como ingrediente de doces e sobremesas, é um tipo de chá verde em pó, fino como talco e de um tom quase fluorescente. É ele o grande protagonista da cerimônia do chá japonesa, um espetáculo para os sentidos.
Misturas

Carla propõe a utilização de cascas de frutas para criar misturas. Tangerina, limão, manga, maçã, tudo vira ingrediente. As cascas de frutas cítricas são particularmente interessantes, pois desidratam bem e podem ser infusionadas junto com o chá verde ou preto. “O importante é tirar o mínimo da parte branca possível, pois é amarga, e secar bem para não mofar”, ensina.

Renata Acácia, proprietária da loja virtual catarinense Infusorina, sugere as ervas, pela facilidade de secagem. Camomila, hortelã, erva-doce, capim-limão, melissa e flores de hibisco são alguns itens que combinam bastante, assim como o gengibre desidratado. “O chá verde vai bem com limão, erva-mate, jasmim. O importante é ir testando as proporções”, diz.

Autorizado UOL