Punta Del Este em 2019

Hoje pela manhã será apresentado às autoridades  no Uruguai um protocolo de “turismo saudável” com o objetivo de promover o turismo durante a pandemia do coronavírus. O documento foi entregue na última quarta-feira da semana passada às autoridades de turismo do Uruguai, pela Associação Uruguaia de Agências de Viagens (Audavi), a Câmara Uruguaia de Hotelaria e Turismo, o Centro Hoteleiro La Paloma e o Punta del Este Hotel Center.
Héctor Araújo, presidente do Punta del Este Hotel Center, explicou em entrevista coletiva naquela cidade que “oficialmente” o Ministro do Turismo prometeu apresentar o protocolo ao Grupo Honorário de Assessoria Científica e a Daniel Salinas, Ministro da Saúde, hoje,  7 de outubro para analisar se aprovam o protocolo e se mudanças devem ser feitas.

Ministro Daniel Salinas

A proposta de “turismo saudável” é uma “alternativa intermediária e necessária” para os hotéis cumprirem este protocolo. Como as fronteiras não podem ser abertas ao turismo de massa, foi criado um protocolo para que “sem riscos, nos permitam seguir avançando gradativamente em direção ao objetivo final”, afirmaram as quatro organizações em comunicado.
Este protocolo é uma “solução valiosa com uma percentagem muito elevada de segurança que não irá gerar contágio”, acrescentou o comunicado. O país registrou em setembro um total de 48 óbitos.
Para a implementação do turismo saudável, propõem: PCR com no máximo 72 horas; seguro saúde contratado ao entrar no país; Estadia obrigatória por sete noites em hotel cadastrado e com certificação de operador responsável; faça outro teste após sete dias (pagamento pelo hotel). Em caso de negativa, o turista tem livre circulação no país. Em caso de teste positivo, “continuará em quarentena no hotel às custas do passageiro, a menos que seja necessária hospitalização”.
Além disso, o protocolo estabelece que pessoas de qualquer idade e nacionalidade poderão ingressar, desde que cumpram o disposto acima.
E, finalmente, propõe-se que os hotéis cumpram um rígido protocolo aprovado pelo governo uruguaio. Se forem detectadas irregularidades, elas serão desabilitadas e penalizadas.
Segundo Araújo, eles se concentraram nos turistas que querem vir ao Uruguai, mas não são residentes ou iniciaram os procedimentos para ser. Esse protocolo, garante, é voltado para quem quer ficar no país durante toda a temporada.

O País / GDA