Pesquisadores da Fiocruz, no Rio de Janeiro, reforçaram nesta sexta-feira, durante um seminário, a urgência da adoção de critérios mais justos para vacinação de idosos e cuidadores em todo o país.
Recentemente, a Fundação emitiu uma nota técnica alertando para a necessidade de que idosos com limitação da capacidade funcional sejam considerados prioridade, independentemente da idade, assim como a adoção de estratégias para vacinar esses idosos em casa e incluir, também, os cuidadores, sejam eles familiares ou contratados.
Apesar dessa última categoria estar contemplada no Plano Nacional de Imunizações, na prática a vacinação desses profissionais não vem ocorrendo em várias cidades.
Segundo o pesquisador Daniel Groisman, um dos autores da Nota Técnica, a estimativa é de que haja no país atualmente cerca de um milhão de cuidadores remunerados. Mais de 90% deles são mulheres e poucas têm a carteira assinada, o que dificultaria a comprovação profissional para acesso à vacina.
Outra autora da nota, a médica e pesquisadora Karla Giacomin lembrou também que cerca de 80% dos cuidadores familiares que trabalham em residências estão em situação de vulnerabilidade e a grande maioria são mulheres.
Dália Romero, coordenadora do Grupo de Informação e Envelhecimento, que também assina a nota, defendeu a inclusão do critério de capacidade funcional para vacinação de idosos como a alternativa mais justa nesse cenário de escassez de vacinas.
Segundo a nota da Fiocruz, no Brasil existem 5,2 milhões de idosos que necessitam de ajuda para as suas atividades da vida diária.

PlanetaOsasco.com