Zona Oeste lidera em população idosa de São Paulo

Alto de Pinheiros, Jardim Paulista e Pinheiros são distritos com maior proporção de pessoas com 60 anos ou mais.

O conteúdo desta notícia é do Metro Jornal. Antes, porém, gostaria de fazer um comentário sobre uma mudança que está ocorrendo em São Paulo, Cidade Amiga do Idoso, que torcemos para ser reproduzida em todo o Brasil:

É maravilhoso constatar que estão surgindo lideranças de qualidade e responsabilidade com a causa da Longevidade brasileira e do Brasil Idoso. A iniciativa da Coordenadora das Políticas para Idosos da Secretaria Municipal de Direitos Humanos, Sandra Regina Gomes e o trabalho de Norma Rangel, ativista da Longevidade e autora de dois projetos interessantíssimos para a causa (*) dão esperança de que São Paulo possa liderar uma mudança nas políticas públicas para idosos em todo Brasil. TCJ

Um levantamento realizado pela Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania mostra que os bairros da zona oeste possuem as maiores proporções de idosos da capital. Segundo o estudo, as pessoas com 60 anos ou mais representam 15,2% da população paulistana.

Dos quatro bairros com  população de 60 anos ou mais maior que 25%, três estão na zona oeste: Alto de Pinheiros (27,9%), Jardim Paulista (26,1%) e Pinheiros (25,3%). Na Vila Mariana (zona sul), 25,1% da população  está nessa faixa etária.

Já as menores porcentagens dominam a zona sul, nos bairros de Jardim Ângela (9,1%), Parelheiros (9,3%) e Grajaú (9,6%). No entanto, a menor proporção foi encontrada em Anhanguera (zona norte), com 8,1%.

A pesquisa, chamada Indicadores Sociodemográficos da População Idosa, usou dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Sistema de Informações sobre Mortalidade e da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados.

A Prefeitura de São Paulo pretende usar os dados para nortear o desenvolvimento de políticas públicas voltadas para essas pessoas.

Metro Jornal

(*)  @norma Rangel, ativista da Longevidade e criadora dos  projetos NOVO D+ PARA SER VELHO E de Moradia Colaborativa, o projeto Morar e Acolher.

 

A Zona Oeste é Top em Qualidade de Vida

É  uma região administrativa estabelecida pela Prefeitura de São Paulo englobando as Subprefeituras da Lapa, de Pinheiros e do Butantã.[1] De acordo com o censo de 2000, tem uma população de 888.623 habitantes e renda média por habitante de R$ 2.174,55.[2] A região é composta por diversos bairros, entre eles: Vila Leopoldina, Alto de Pinheiros, Lapa, Vila Madalena, Pompeia,Vila dos Remédios, Perdizes, Barra Funda, Butantã, Morumbi, Vila Sônia, Raposo Tavares, Jardim Paulista, Rio Pequeno, Itaim Bibi, Jaguaré e Jaguara.

A localização é valorizada, tranquila e possui bairros de classe média e alta. Além disso, o maior campus da Universidade de São Paulo, chamado Cidade Universitária Armando de Salles Oliveira, é localizado na Zona Oeste. A Região Oeste de São Paulo faz divisa com alguns municípios da região da Grande São Paulo, como Osasco e Taboão da Serra. O Instituto Butantan, referência em pesquisas sobre fauna e flora, também está localizado na Região Oeste do município, ao lado da Universidade de São Paulo, a somente alguns metros da estação Butantã da linha 4 do metrô.

A Região Oeste de São Paulo possui um farto repertório de atrações culturais e é uma das mais diversificadas do município. Conta com estádios de futebol, diversos museus, shoppings, memorial da América Latina, praças e parques tradicionais. Andando pelas ruas da região podemos desfrutar de muitas opções de passeios, diversão e cultura. (Wikipédia)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *