A Morada do Afeto





Mais um debate do SESC Santos sobre moradia para idosos no dia 18/5

Hoje, às 16No dia 18/5, Mariela Besse, presidente do Departamento de Gerontologia da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia de São Paulo vai abordar A relação das moradias contemporâneas a partir da visão dos idosos.

No dia 29/6, a arquiteta Andréa H. Pfützenreuter será a responsável pelo tema do último encontro falando sobre As adaptações, criatividade e necessidades de moradia para a população que envelhece.

Os encontros já realizados também podem ser assistidos

Em 31/3Viviane Mosé, poetisa, filósofa, psicóloga, psicanalista e especialista em elaboração e implementação de políticas públicas tratou dos Elementos reflexivos sobre a relação entre o lugar e o espaço, sob a ótica da filosofia e da poesia.

No dia 27/4, Ana Amélia Camarano economista e doutora em Estudos Populacionais, falou sobre A existência de diversas possibilidades de morar nos tempos atuais.


O link para assistir a conferência da Dra. Mariela Bessa, às 16h30m mas poderá ser visto mais tarde.

http://www.sescsp.org.br/online/artigo/9855_MORAR+ESPACOS+DE+AFETO?utm_source=home-portal-institucionais&utm_medium=destaque&utm_campaign=Home-Portal#/tagcloud=lista

Thereza Christina Pereira Jorge

Iniciamos com Viva com Beleza Envelhecimento Ativo há 10 anos. E estamos aprendendo a Arte de Envelhecer, e que Arte difícil! O site trata da descoberta do meu Envelhecimento Ativo. Consultoria em Envelhecimento Ativo [email protected] Meu nome é Thereza Christina Pereira Jorge, sou carioca, mãe de dois filhos, jornalista. Estudo há sete anos e Envelhecimento Ativo e escrevo sobre isso. Primeiro no blogue Viva com Beleza e agora no site Arte de Envelhecer. Fui repórter-editora nos jornais O Globo e sucursal Rio de O Estado de São Paulo. Trabalhei nas revistas femininas da Editora Bloch e na revista Isto É, também na sucursal. Sou formada em Ciências Sociais pela UFRJ. O site _ https://www.artedeenvelhecer.com.br _ é muito autobiográfico porque estou descobrindo e praticando o que a OMS definiu como Envelhecimento Ativo. Amo a vida e o viver. Tenho apreciado (às vezes) o meu envelhecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo