A esperança de obter um emprego no mutirão organizado pela União Geral dos Trabalhadores reuniu milhares de pessoas no centro de SP. Candidatos dormiram na rua. O primeiro a chegar, às 14 horas de 2ª-feira, foi José Augusto de Lima, de 70 anos. Ele conseguiu senha para uma entrevista em um supermercado. ‘Estou empolgadíssimo’, afirmou. A média salarial dos 5,2 mil empregos oferecidos é de R$ 1,5 mil.

“Estou empolgadíssimo”, comemorou José Augusto de Lima, de 70 anos, depois de conseguir uma entrevista de emprego. A oportunidade surgiu num mutirão com 5,2 mil vagas de trabalho organizado pela União Geral dos Trabalhadores (UGT), na sede do Sindicato dos Comerciários, no Vale do Anhangabaú, centro de São Paulo. A distribuição de senhas de atendimento começou ontem e o mutirão vai até sexta-feira. A expectativa é de que sejam entregues 6 mil fichas até lá.

Lima foi o primeiro das 1,5 mil pessoas que receberam senhas de atendimento no primeiro dia da ação. A fila começava na Rua Formosa, sede do sindicato, e se estendia até a Praça Ramos de Azevedo.

Os candidatos começaram a chegar na tarde de segunda-feira. Lima chegou por volta das 14h, mas não teve de passar a noite na rua. Por causa de sua idade, o sindicato permitiu que ele fosse para casa e retornasse no dia seguinte sem perder o lugar.

Às 6h30 de ontem ele voltou e conseguiu marcar entrevista para uma vaga de repositor em um mercado na zona norte da cidade. O trabalho ideal, segundo ele, é de motorista, mas, por estar parado há quatro meses, aceitaria outras ocupações. “Estou aqui por necessidade e porque gosto também. Gosto de estar sempre ativo e atualizado.”

A média salarial dos empregos oferecidos no mutirão, segundo o sindicato, é de R$ 1,5 mil. São vagas de operador de telemarketing, representante comercial, costureira, assistente de loja, operador de loja, repositor, vendedor, instalador de TV a cabo, entre outras.

Compacto do Estadão Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *