Brasil Idoso

junho 23, 2016 0 Por Thereza Christina Pereira Jorge

São Paulo, SP

Câmara aprova lei para mulheres e idosos descerem fora do ponto em SP


A lei que autoriza o desembarque de mulheres e idosos fora do ponto de ônibus das 22 horas às 5 horas foi aprovada nesta quarta-feira, 22, na Câmara Municipal de São Paulo. O projeto de lei segue para sanção do prefeito Fernando Haddad (PT).
Hoje, na capital paulista, somente passageiros com deficiência têm o direito de descer em locais que não sejam pontos de coletivo, segundo a Companhia de Engenharia do Tráfego (CET).
O texto, de 2014, é de autoria do vereador Gilberto Natalini (PV). Segundo justificativa do parlamentar, mulheres estão mais vulneráveis à noite e são “o principal alvo” de bandidos. O projeto prevê que as mulheres escolham o local que lhes proporcione “a melhor sensação de segurança”.
De acordo com o vereador, por estar fora do horário de pico, o intervalo de tempo escolhido atrapalha menos os outros passageiros, já que o movimento é menor no período entre 22 horas e 5 horas.
“São vários os relatos de agressão no trajeto entre a residência e o ponto do ônibus. Bandidos aproveitam-se da falta de iluminação e da certeza do desembarque naquele local para cometerem crimes, sendo as mulheres o alvo principal”, afirma Natalini.
Haddad tem até 60 dias para sancionar ou vetar o projeto.

Conteúdo UOL


Minas Gerais

Inadimplência cresce 13,6% entre os idosos de Minas Gerais

Gráfico Inadimplência

O número de idosos inadimplentes cresceu 13,6% em maio em comparação com o mês anterior segundo dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) das CDLs em Minas Gerais. O motivo principal seria a combinação de aumento dos gastos com planos de saúde e remédios, aliados à redução da renda por causa da aposentadoria.
Além disso, segundo o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), Bruno Falci, outro problema é a falta de planejamento, já que de dez idosos entrevistados, cinco possuem três ou mais cartões de crédito e ou débito.
“O recomendado é que cada pessoa tenha no máximo dois cartões, pois assim fica mais fácil controlar os gastos e evitar compras por impulso”, afirmou.
A única faixa etária que apresentou queda (-20,51%) no número de pessoas inadimplentes foi a de 18 a 24 anos. Depois dos idosos, os consumidores que registraram o maior crescimento de inadimplência (9,18%) concentram-se na faixa etária de 50 a 64 anos. Em seguida aparecem de 40 a 49 anos (7,63%); de 30 a 39 anos (5,14%) e de 25 a 29 anos (0,28%).
Além da faixa etária, outro critério de comparação é o que separa homens e mulheres. Segundo os dados da pesquisa, as mulheres foram responsáveis pelo maior crescimento da inadimplência (3,83%) no mês de maio, na comparação com o mesmo período do ano anterior. Entre os homens, esse índice teve alta de 2,44%.
Compacto do site Hoje em Dia