Brasil Idoso _ 5ª Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa em novembro

Brasília

Convocada a 5ª Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa

Publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira (21), o Decreto nº 9.620 convoca a 5ª Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa (5ª CNDPI), a ser realizada em Brasília, no mês de novembro de 2019. O evento terá como tema “Os Desafios de Envelhecer no Século XXI e o Papel das Políticas Públicas”.
Publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira (21), o Decreto nº 9.620 convoca a 5ª Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa (5ª CNDPI), a ser realizada em Brasília, no mês de novembro de 2019. O evento terá como tema “Os Desafios de Envelhecer no Século XXI e o Papel das Políticas Públicas”
“A Conferência Nacional proporciona diálogos entre governo e sociedade civil, com a finalidade de contribuir para a melhoria das ações voltadas às pessoas idosas, de forma que estas atuem como protagonistas de suas próprias vidas”, afirmou o ministro dos Direitos Humanos, Gustavo Rocha.
O decreto destaca que a 5ª CNDPI será precedida de etapas municipais ou regionais, estaduais e distrital, nas quais serão escolhidos e indicados os respectivos delegados participantes.
São eixos da atividade: I – Direitos Fundamentais na construção/efetivação das Políticas Públicas, Subeixos: Saúde; Assistência Social; Previdência; Moradia; Transporte; Cultura, Esporte e Lazer; Subeixos: Saúde; Assistência Social; Previdência; Moradia; Transporte; Cultura, Esporte e Lazer. II – educação: assegurando direitos e emancipação humana; III – enfrentamento da violação dos Direitos Humanos da Pessoa Idosa, e IV – Os Conselhos de Direitos: seu papel na efetivação do controle social na geração e implementação das políticas públicas.

Rio de Janeiro

Seminário vai debater políticas públicas para idosos

As políticas públicas para idosos serão tema de debate do II Seminário “Políticas Públicas e Envelhecimento”, que será realizado no dia 7 de fevereiro, no Arquivo Nacional – Praça da República, 173. O evento é uma iniciativa da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH) e Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa (COMDEPI).  Veja abaixo a programação completa:
09:h  – Credenciamento dos Participantes
09h30 – Abertura do Seminário e Composição da Mesa
1ª Mesa Temática
Mediador: Sandra Julião (Subsecretária da SUBPI)
09h45 – PANORAMA DAS POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A PESSOA IDOSA
Expositora – Sandra Rabello (UNATI/UERJ)
10h45- DADOS DO ENVELHECIMENTO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO
Expositora – Rosana Iozzi (Instituto Pereira Passos)
11h15 – Debate
Organização do Debate: Perguntas levantadas pelos participantes e considerando o excedente, serão estabelecidos blocos de questões.
12h30 – Intervalo Almoço

Davos, Suíça

Diretora-geral do FMI apontou os maiores perigos para o crescimento global: envelhecimento da população e as alterações climáticas. Infelizmente, o Brasil corre os dois riscos ao mesmo tempo.

A directora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, moderou hoje uma mesa redonda em Davos cujos participantes coincidiram em sublinhar o envelhecimento da população e as alterações climáticas como os maiores perigos para o crescimento global.

Juntamente com Lagarde intervieram na mesa redonda a professora da Uiversidade de Londres Mariana Mazzucato, o governador do Banco do Japão, Haruhiko Kuroda, a responsável do Banco Mundial, Kristalina Georgieva, e o governador da Reserva Federal da África do Sul, Lesetja Kganyago.

Lagarde negou-se desde o princípio “dar manchetes”, porque do que se tratava na ocasião não era oferecer perspectivas de crescimento mas sim delimitar os riscos concretos.

Neste sentido, Lagarde detectou dois perigos, o envelhecimento da população e as alterações climáticas, e referiu que o primeiro se tratava de “um assunto tão sério que ainda que não pareça é da competência também dos bancos centrais e claro do sector financeiro”.

A partir do Banco Mundial, Georgieva afirmou que se a temperatura global continuar a a subir ao ritmo que tem acontecido até agora pode implicar cortes entre 15% e 25% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial.

Na sua opinião, a luta contra as alterações climáticas implica a destruição de milhares de empregos em sectores condenados a desaparecer, mas também a criação de novos sectores.

Neste sentido, Kuroda referiu-se ao envelhecimento da população em todo o mundo, na Ásia e, em particular, no Japão, um fenómeno que implica menos receitas fiscais e mais gastos sociais.

Mesmo assim, Kuroda reconheceu que este processo de envelhecimento da população e os consequentes mudanças demográficas “poderiam dificultar o trabalho do banco central, ao reduzir a taxa de crescimento a longo prazo”, com taxas de juro baixas e menor procura de crédito.

A partir daí, as entidades financeiras poderiam assumir maiores riscos à procura de maiores rendimentos e assim destabilizar o sistema financeiro.

A partir de um ponto de vista oposto, o governador do banco central da África do Sul relatou que África é um continente de “gente jovem mas sem trabalho”, fazendo com que as prioridades sejam outras, designadamente apostar na formação e na educação.

E em relação às alterações climáticas, recordou eu África é fornecedor de matérias-primas, um sector que é altamente contaminante, mas que tem potencial para se reconverter numa indústria mais “verde”.

Para isso, adiantou, é preciso investir na formação e em novas tecnologias para que não desapareçam postos de trabalho mas surjam outros novos.

Os sindicatos, referiu, proclamam que querem proteger o emprego, mas o que é preciso são as pessoas e para executar esta “transição”, é necessário adoptar políticas adequadas e incentivos à inovação.

A África do Sul vai aumentar a produção de energias renováveis ao mesmo tempo que se vai reduzindo sectores como o do carvão, e aí é onde o Governo choca com as organizações empresariais, que terão um “statu quo” que vai desaparecer.

Campina Grande, Paraíba

VI Congresso Internacional de Envelhecimento Humano

Entre os dias 26 e 28 de Junho de 2019 acontece o VI Congresso Internacional de Envelhecimento Humano (VI CIEH)no Centro de Convenções Raymundo Asfora – Garden Hotel, em Campina Grande/PB. As inscrições encontram-se abertas.

Nesta edição, o evento traz como temática principal “Envelhecimento Humano no Século XXI: atuações efetivas na promoção da saúde e políticas sociais”, visando proporcionar o compartilhamento de conhecimentos, a troca de experiências sobre ações e programas favoráveis à promoção da saúde e políticas voltadas à pessoa idosa,com o objetivo de melhorar a qualidade de vida desta população.

Podem participar estudantes de graduação, professores, profissionais, pesquisadores, idosos e demais interessados na temática do evento.As inscrições devem ser feitas até 17 de Junho de 2019 através do endereço eletrônico www.cieh.com.br com data limite para submissão de trabalhos o dia 27 de maio de 2019. Outras informações (83) 3322-3222.

O número de pessoas com idade igual ou superior a 60 anos dobrará no mundo em 2050, passando para cerca de 2 bilhões, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). Há uma revolução do envelhecimento no mundo e o aumento da longevidade instiga a relevância de estudos e pesquisas sobre o assunto com vistas à melhoria na qualidade de vida da pessoa idosa e garantia dos seus direitos.

O evento é promovido pelo Centro Multidisplinar de Estudos e Pesquisas (CEMEP) em parceria com a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) e conta com o apoio institucional da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) e da Universidade Aberta à Terceira Idade da UNEB (UATI/UNEB), da Faculdade Maurício de Nassau (Uninassau Campina Grande), do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Idosa (CEDDPI / PB), do Conselho Estadual da Pessoa Idosa de Minas Gerais (CEI-MG), do Conselho Estadual da Pessoa Idosa de Santa Catarina (CEI-SC), do Conselho Regional de Farmácia do Rio Grande do Sul (CRF-RS), da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público de Defesa dos Direitos dos Idosos e Pessoas com Deficiência (AMPID), da Associação Brasileira de Gerontoliga (AGB),entre outras instituições.

Com alertas do GOOGLE

Thereza Christina Pereira Jorge

Iniciamos com Viva com Beleza Envelhecimento Ativo há 10 anos. E estamos aprendendo a Arte de Envelhecer, e que Arte difícil! O site trata da descoberta do meu Envelhecimento Ativo. Consultoria em Envelhecimento Ativo [email protected] Meu nome é Thereza Christina Pereira Jorge, sou carioca, mãe de dois filhos, jornalista. Estudo há sete anos e Envelhecimento Ativo e escrevo sobre isso. Primeiro no blogue Viva com Beleza e agora no site Arte de Envelhecer. Fui repórter-editora nos jornais O Globo e sucursal Rio de O Estado de São Paulo. Trabalhei nas revistas femininas da Editora Bloch e na revista Isto É, também na sucursal. Sou formada em Ciências Sociais pela UFRJ. O site _ https://www.artedeenvelhecer.com.br _ é muito autobiográfico porque estou descobrindo e praticando o que a OMS definiu como Envelhecimento Ativo. Amo a vida e o viver. Tenho apreciado (às vezes) o meu envelhecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo