Brasil Idoso, municípios aderem ao Envelhecimento Ativo

outubro 17, 2018 0 Por Thereza Christina Pereira Jorge

Campos Novos, Santa Catarina – Eles têm experiência de sobra quando o assunto é a vida. Ao longo dos anos, trabalharam, formaram famílias, vivenciaram alegrias, venceram dificuldades e, agora, são os calouros da universidade. Essas são as principais características dos integrantes da mais nova turma da Universidade da Terceira Idade (Uniti), que realizou sua aula inaugural, na Unoesc Campos Novos na quinta-feira, dia 11.

O objetivo central da Uniti é o de proporcionar aos participantes, oportunidades de aprofundar conhecimentos que agreguem valores para melhorar a sua qualidade de vida e envelhecimento saudável.  Ao todo, 32 idosos quase todos, vindos da cidade de Abdon Batista, município parceiro do projeto, compõe a primeira turma e terão ao longo de um ano e meio acesso à atividades voltadas ao conhecimento, cultura, lazer, saúde e relações interpessoais por meio de componentes curriculares adaptados às suas realidades e necessidades.

Dona Ivania Zanchetti é uma das participantes e fez questão de partilhar com os colegas o sentimento de estar frequentando a Uniti. “Estou em um momento da vida em que quero cuidar mais de mim e por isso tirei tempo para vir nos encontros. Cada dia será uma experiência nova que fará muito bem e nos fará viver mais e melhor”.

E, para aqueles que pensam que existe limite de idade para sonhar, a aluna Beloni Bortoli, mostrou que isso não é verdade. Ela, que não teve oportunidade de frequentar uma universidade na juventude, aos 63 anos, quer absorver ao máximo as experiências que serão proporcionadas nas aulas da Uniti e assim, enriquecer o conteúdo do livro que pretende escrever.

“Trabalhei na roça e com outros ofícios para ajudar no sustento da família, minhas filhas estudaram e seguiram a vida delas.  Agora chegou a minha vez. Sou uma pessoa positiva e acredito que o conhecimento é algo que não ocupa espaço e que ninguém pode tirar de nós, por isso, estou aqui” finalizou Beloni.

Três Lagoas, Mato Grosso do Sul – A Prefeitura de Três Lagoas, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS), numa ação de parceria com o Sindicato Rural de Três Lagoas, promoveu curso de capacitação de “Artes em Tecidos”, abordando técnicas de envelhecimento, também conhecido como “pano assado”.

O curso, de carga horária de oito horas, ministrado nesta segunda-feira (15), no Centro de Inclusão Produtiva, unidade da SMAS no Bairro Nossa Senhora Aparecida, teve como público alvo as mães do Centro de Referência de Assistência Social – CRAS São João e senhoras do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos – SCFV do Centro de Convivência de Idosos “Tia Nega”. Este curso foi ministrado pela instrutora do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso do Sul – Senar/MS, Wilma Barros, de Campo Grande.“É uma técnica natural de envelhecimento de tecidos, que vem sendo muito usada em trabalhos de decoração de ambientes”, resumiu a instrutora do Senar/MS. “É uma prática muito antiga, que exige técnicas específicas para atingirmos os objetivos das tonalidades desejadas, usando sempre produtos naturais, como, café, chá preto, chá mate e até casca de cebola”, mostrou Wilma Barros. Além de ser “excelente terapia ocupacional, este curso, se bem aproveitado, pode se transformar em excelente opção de geração de renda”, observou a instrutora, enquanto mostrava o uso adequado do ferro de passar roupa, até chegar aos resultados de “um pano assado”.

O trabalho de uso de técnicas de envelhecimento de tecidos vem sendo usado, ultimamente e com sucesso, no revestimento de capas de sofás, molduras de quadros, estampas de camisetas e também em capas de almofadas.

Campina da Lagoa, Paraná- No município de Campina da Lagoa, no Centro-Ocidental paranaense, o Ministério Público do Paraná expediu nesta segunda-feira, 15 de outubro, recomendação administrativa dirigida a supermercados da cidade com o objetivo de garantir o cumprimento da legislação que prevê o atendimento prioritário para idosos, pessoas com deficiência, lactantes, gestantes e mães ou pais com crianças de colo.

O documento foi emitido pela Promotoria de Justiça da comarca após a constatação de que os estabelecimentos não estavam cumprindo a obrigatoriedade de disponibilização de ao menos um caixa ou guichê para atendimento prioritário a esse público. Na recomendação, o MPPR ressalta os dispositivos legais que preveem o atendimento prioritário, entre eles o Estatuto do Idoso, o Estatuto da Pessoa com Deficiência e a Constituição Estadual do Paraná.

Santo Antonio de Posse, São Paulo – O Fundo Social de Solidariedade, em parceria com a Diretoria de Desenvolvimento Social e Cidadania, tem organizado atividades para entretenimento dos idosos participantes do Grupo “Viver Vale a Pena” da Terceira Idade durante todo o mês de outubro.

Na última quinta-feira, dia 11 de outubro, a professora Micheli coordenou os idosos em brincadeiras que propunham o trabalho em grupo, além da importância do lúdico, entre elas dinâmicas para incentivavam a coordenação motora e velocidade e competições de dança. Para ajudar nas atividades, dois estagiários do Departamento de Esporte e Lazer estavam presentes.

Ainda como parte da programação do Mês do Idoso, está marcado para acontecer um bingo, no dia 18, um passeio no campo, com pescaria e almoço, no dia 22 e um baile de encerramento das atividades, no sábado, dia 27.

Navegantes, Santa Catarina – A equipe do Centro de Referência da Assistência Social – CRAS 1, localizado no bairro São Paulo, vinculado à Secretaria da Assistência Social da Prefeitura de Navegantes, iniciou o Projeto de uma horta comunitária.  A finalidade é de fortalecer o convívio comunitário e complementar as condições de alimentação do grupo.

De acordo com a coordenadora do CRAS 1, Luana Fonseca, o projeto iniciou com Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) da Terceira idade e em breve será implantado para novos grupos. “ O projeto interage com a participação dos idosos que estão adorando, os depoimentos são emocionados, quando falam que plantar é quase uma terapia, ainda mais com os amigos do grupo,”conta a coordenadora.

O Secretário da Assistência Social, Juliano de Maria, enfatizou a importância do projeto. “Ao chegar no CRAS 1 e presenciar o plantio na horta comunitária fiquei imensamente feliz em ver a união e força de vontade do grupo. Parabéns a equipe pela iniciativa, a horta representa a integração de cada participante. A vida é um plantio e a colheita, aqui no CRAS 1, será generosa com legumes nutritivos, afeto, amor e principalmente: superação,” destacou o secretário.

Com alertas do Google