Brasil Idoso: velhices das estrelas e de Simone de Beauvoir

Quem já parou para pensar sobre o passar do tempo no universo? As estrelas, como os seres humanos, nascem, transformam-se e morrem. O professor da UFRGS Alan Alves Brito relaciona o fato de elas terem nascimento, infância, vida adulta e velhice com a proposta de um diálogo cultural com a obra de Simone de Beauvoir sobre a velhice. Isso será discutido na atividade Ciclo de Palestras do Instituto de Física, que tem nova edição nesta quinta-feira, dia 16 de junho, às 19h30, no Auditório da Livraria Cultura do Bourbon Shopping Country, em Porto Alegre.
O tema da atividade é “Sobre a velhice no universo: De Simone de Beauvoir às Estrelas”. Como ingresso é solicitada a doação de 1 kg de alimento não perecível que será distribuído às instituições carentes do entorno do Campus do Vale da UFRGS. Há emissão de certificados com validade para créditos complementares aos alunos da UFRGS. O Shopping está localizado na Avenida Túlio de Rose, 80.
Alan Alves Brito é professor adjunto no Instituto de Física, com experiência na área de Astrofísica Estelar, principalmente nos estudos de evolução química das diferentes populações estelares da Via Láctea e fora dela.

Conteúdo http://www.ufrgs.br/

Thereza Christina Pereira Jorge

Iniciamos com Viva com Beleza Envelhecimento Ativo há 10 anos. E estamos aprendendo a Arte de Envelhecer, e que Arte difícil! O site trata da descoberta do meu Envelhecimento Ativo. Consultoria em Envelhecimento Ativo [email protected] Meu nome é Thereza Christina Pereira Jorge, sou carioca, mãe de dois filhos, jornalista. Estudo há sete anos e Envelhecimento Ativo e escrevo sobre isso. Primeiro no blogue Viva com Beleza e agora no site Arte de Envelhecer. Fui repórter-editora nos jornais O Globo e sucursal Rio de O Estado de São Paulo. Trabalhei nas revistas femininas da Editora Bloch e na revista Isto É, também na sucursal. Sou formada em Ciências Sociais pela UFRJ. O site _ https://www.artedeenvelhecer.com.br _ é muito autobiográfico porque estou descobrindo e praticando o que a OMS definiu como Envelhecimento Ativo. Amo a vida e o viver. Tenho apreciado (às vezes) o meu envelhecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo