Cidade chinesa aposta em população de centenários para atrair turistas

Hechi, da Região Autônoma da Etnia Zhuang de Guangxi, sul da China, planeja aproveitar sua população de idosos para atrair turistas. 
Hechi administra 11 distritos, dos quais seis são conhecidos pela longevidade dos moradores.
Até o fim de 2015, Hechi tinha 67 mil pessoas entre 80 e 89 anos, das quais 760 eram centenários. Foi denominada a Cidade da Longevidade no Seminário Internacional sobre Envelhecimento e Longevidade, realizado na semana passada em Changchun, nordeste da China.
“Hechi se tornou popular e atrai muitos turistas, especialmente dos países asiáticos que também estimam longevidade, como o Japão e a República da Coreia”, disse Wei Xigang, vice-diretor do comitê dos trabalhos da sociedade de idosos de Hechi.
Um fundo de turismo de saúde será destinado a Bama, um distrito principalmente habitado pela etnia Yao e conhecido por ter muitos moradores de cabelos grisalhos, para criar um destino de turismo.
“Hechi é também uma área pobre. Esperamos que o turismo de saúde pode ajudar a promover o desenvolvimento econômico”, assinalou Wei.

http://portuguese.cri.cn/

Thereza Christina Pereira Jorge

Iniciamos com Viva com Beleza Envelhecimento Ativo há 10 anos. E estamos aprendendo a Arte de Envelhecer, e que Arte difícil! O site trata da descoberta do meu Envelhecimento Ativo. Consultoria em Envelhecimento Ativo [email protected] Meu nome é Thereza Christina Pereira Jorge, sou carioca, mãe de dois filhos, jornalista. Estudo há sete anos e Envelhecimento Ativo e escrevo sobre isso. Primeiro no blogue Viva com Beleza e agora no site Arte de Envelhecer. Fui repórter-editora nos jornais O Globo e sucursal Rio de O Estado de São Paulo. Trabalhei nas revistas femininas da Editora Bloch e na revista Isto É, também na sucursal. Sou formada em Ciências Sociais pela UFRJ. O site _ https://www.artedeenvelhecer.com.br _ é muito autobiográfico porque estou descobrindo e praticando o que a OMS definiu como Envelhecimento Ativo. Amo a vida e o viver. Tenho apreciado (às vezes) o meu envelhecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo