Eles lucram às nossas custas

junho 21, 2016 0 Por Thereza Christina Pereira Jorge
Eles lucram às nossas custas. No bom sentido.

Depois de alguns anos operando e dando plantões num hospital em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, na década de 80, os cirurgiões Ari Bolonhezi, Emilio de Fina Junior e José Eduardo Ramão identificaram um problema comum a muitos de seus pacientes. (Bolonhesi à esquerda e Ramão, à direita, na foto)
Passada a cirurgia, eles não precisavam mais de toda a parafernália de um hospital, mas de serviços mais simples, como enfermeiros capazes de medicá-los e camas adaptadas. Fizeram uma pesquisa e descobriram que havia pouquíssimas empresas no Brasil especializadas nesse tipo de assistência, mas que esse era um mercado em expansão nos Estados Unidos.
Os médicos decidiram, então, virar empresários. Com a sobra de caixa do consultório que já tinham, alugaram equipamentos como cadeiras de rodas e balões de oxigênio. Também firmaram um contrato com uma cooperativa de médicos e enfermeiros e fundaram a Home Doctor. Inicialmente, a empresa atendia apenas pacientes em estado mais grave, que precisavam de internação.
Hoje também oferece serviços mais light, como acompanhamento psicológico e fisioterapia. A Home Doctor acabou sendo pioneira num setor que agora cresce de forma acelerada no país. Existem cerca de 400 concorrentes, que faturaram ao todo 3 bilhões de reais em 2014.
A Home Doctor é uma das maiores empresas do segmento: está em 73 cidades nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia, além do Distrito Federal, e fatura 200 milhões de reais. 

Compacto da Exame Terceira Idade