19184906_thl0t

 

A Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia do Rio de Janeiro lançou uma cartilha sobre deglutição, iniciativa que integra uma série sobre cuidados e segurança da pessoa idosa.

Márli Borborema, mestre em Fonoaudiologia e presidente de Gerontologia na SBGG-RJ, explica porque fica mais difícil engolir.
Com o processo do envelhecimento, o indivíduo perde massa muscular e, consequentemente, força na musculatura responsável pela deglutição.

Por isso, aqui vão dez dicas para que a hora da refeição não gere estresse, nem riscos:

1) Postura: o idoso tem que ficar sentado confortavelmente, com cabeça, pescoço e tronco posicionados no meio do corpo.

2) Distração: evitar TV ligada, gente falando e tumulto na hora da refeição. O idoso não deve conversar enquanto come, é importante que preste atenção na deglutição.

3) Pescoço: o grande segredo da deglutição está no pescoço, é importante observar a região da frente, onde se dá a passagem do alimento.  O movimento não deve ser rápido, nem lento demais.

4) Deglutição vazia: estimular a deglutição vazia (só de saliva) antes da oferta de alimento, principalmente antes da administração de comprimidos. Pode-se usar uma colher de sobremesa limpa e gelada, ou uma colher melada de algum sabor. O idoso independente fará isso sem ajuda.

5) Consistência: não alterar a consistência alimentar sem consultar o profissional de saúde que acompanha o idoso (médico, nutricionista, fonoaudiólogo).

6) Ritmo: é importante esperar uma deglutição de alimento – lembrar que água também é alimento – e, em seguida, uma deglutição vazia, que completa uma sequência. Comer pode cansar!

7) Programação: a refeição deve ser interrompida se a pessoa estiver cansada, suando muito ou com respiração ofegante. Neste caso, é melhor programar refeições pequenas com intervalos menores.

8) Utensílios: sempre utilizar produtos resistentes, sejam de plástico ou de vidro. Dependendo do grau de dependência do idoso, usar colheres menores (em vez das de sopa, optar pelas de sobremesa). Copos baixos com gargalo estreito são mais seguros.

 9) Após a refeição: fazer a higiene oral logo depois, principalmente se a pessoa usar prótese dentária, parcial ou total. O idoso deve ficar sentado, o mais ereto possível, pelo menos 40 minutos. A soneca pode esperar um pouquinho.

10) Saúde oral: dependendo do estado cognitivo da pessoa, é arriscado fazê-la bochechar água durante a higiene oral – há risco de ela broncoaspirar. As próteses dentárias devem estar ajustadas e em bom estado de conservação. À noite, manter as próteses em solução orientada pelo dentista e recolocá-las na manhã seguinte, depois de escová-las com creme dental.
Globo Online

Comentar ()

() Comentários

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por e-mail.


Sobre mim

Meu nome é Thereza Christina Pereira Jorge, sou carioca, mãe de dois filhos, jornalista. Fui repórter-editora nos jornais O Globo e sucursal Rio de O Estado de São Paulo. Trabalhei nas revistas femininas da Editora Bloch e na revista Isto É, também na sucursal. Sou formada em Ciências Sociais pela UFRJ. Este blog é muito biográfico porque estou descobrindo e praticando o que a OMS definiu como Envelhecimento Ativo. Amo a vida e o viver.