Estímulos para o cérebro melhoram a memória

A Cora Residencial Senior realiza atividades desenvolvidas para idosos manterem a mente ativa e prevenirem o aparecimento de demências

Atividades desafiadoras são uma estratégia altamente eficaz para estimular o cérebro e assim prevenir, minimizar ou adiar o aparecimento de demências principalmente em pessoas com idade acima de 60 anos. Os esquecimentos frequentes podem indicar duas coisas: apenas uma simples falta de atenção provocada por estresse, falta de sono e ansiedade ou o primeiro estágio de uma doença cerebral, como o Alzheimer, responsável por cerca de 80% das demências. Para adiar o avanço da doença a Cora Residencial Senior, primeira rede de Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI), desenvolve ações para promover a autonomia e preservar as habilidades cognitivas dos residentes.

Diversas atividades são realizadas no residencial Cora como: bingo, dominó, caça-palavras, sudoku, interação com pets, dança sênior, oficinas manuais, entre outras que estimulam o movimento e a memória. “Esses exercícios são importantes, pois servem de entretenimento, lazer e diversão e também são usados como recurso terapêutico. Percebemos os resultados desses estímulos na rotina dos idosos que se tornam mais autônomos”, explica Ana Carolina Carreira de Mello, terapeuta ocupacional da Cora.

Além das atividades citadas, também é importante estimular a leitura, o descanso, os exercícios físicos e alimentação que somados auxiliam os idosos a lembrarem das coisas. No residencial Cora uma equipe assistencial compostas por geriatra, nutricionista, terapeuta ocupacional, fisioterapeuta, entre outros profissionais é responsável por criar um plano de exercícios físicos e mentais, além de realizar o acompanhamento nutricional indicados para o bem-estar do idoso. “Semanalmente temos uma reunião de avaliação multidisciplinar para verificar as melhores atividades para cada perfil de residente. Tentamos unir as ações terapêuticas com suas preferências para motivar a execução e torná-las mais agradáveis e prazerosas”, explica Jéssika Mühlbauer, gerente da unidade Cora Villa Lobos.

Todos esses elementos colaboram para manter a mente ativa e na inclusão social dos residentes. Um exemplo é o que ocorreu com a residente Ana Maria Benavente, 79 anos, que chegou na Cora Residencial Senior com a mobilidade muito prejudicada. Com o trabalho intensivo da fisioterapia e das atividades de terapia ocupacional, ela conquistou uma significativa recuperação motora, saindo da situação de cadeira de rodas para caminhar sem auxílio algum. “Minha saúde melhorou muito depois que comecei a realizar exercícios. Além da minha recuperação física, foi participando dos grupos de discussão, de tarefas manuais e jogos que pude fazer novas amizades. Assim descobri coisas em comum com outros residentes”, afirma Ana Maria.

Sobre a Cora Residencial Senior

A Cora Residencial Senior promove uma inovação no conceito de Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI) por meio de uma experiência única de cuidado, carinho e acolhimento. Oferece o melhor custo-benefício do mercado, com infraestrutura e equipe de profissionais qualificados para atender as necessidades da terceira idade. A rede possui na cidade de São Paulo quatro unidades: Campo Belo, Ipiranga, Jardins e Villa Lobos. Mais informações em:www.coraresidencial.com.br

Thereza Christina Pereira Jorge

Iniciamos com Viva com Beleza Envelhecimento Ativo há 10 anos. E estamos aprendendo a Arte de Envelhecer, e que Arte difícil! O site trata da descoberta do meu Envelhecimento Ativo. Consultoria em Envelhecimento Ativo [email protected] Meu nome é Thereza Christina Pereira Jorge, sou carioca, mãe de dois filhos, jornalista. Estudo há sete anos e Envelhecimento Ativo e escrevo sobre isso. Primeiro no blogue Viva com Beleza e agora no site Arte de Envelhecer. Fui repórter-editora nos jornais O Globo e sucursal Rio de O Estado de São Paulo. Trabalhei nas revistas femininas da Editora Bloch e na revista Isto É, também na sucursal. Sou formada em Ciências Sociais pela UFRJ. O site _ https://www.artedeenvelhecer.com.br _ é muito autobiográfico porque estou descobrindo e praticando o que a OMS definiu como Envelhecimento Ativo. Amo a vida e o viver. Tenho apreciado (às vezes) o meu envelhecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo