Mau hálito não é bom sinal

Ao contrário do que muitas pessoas imaginam, o mau hálito não está relacionado exclusivamente à falta de higiene ou má conservação dos dentes. Em alguns casos, o odor ruim na boca pode ser sinal de que algo não vai bem no organismo. Na maioria dos casos, o mau hálito está associada a alterações na produção salivar, que causam excesso ou falta de saliva na boca.
Inflamações na região bucal, como periodontites, gengivites, amidalite, rinites e sinusite, por exemplo, também são causadores de mau hálito. Mas até mesmo doenças sistêmicas, como diabetes, podem ser origem do cheiro desagradável. Isso porque o diabetes faz com que a pessoa urine mais do que o normal, causando desidratação e, consequentemente, boca seca que origina o mau hálito.
A mesma doença também pode causar a halitose subclínica, uma condição em que a pessoa sente um gosto muito alterado na boca e o associa ao mau hálito, mas que, na verdade, não existe. O distúrbio apresenta as mesmas consequências que a halitose real e geralmente é provocado pela ausência total de saliva ou mesmo por medicações que causam um gosto ruim na boca.

Muitas vezes, quem sofre de mau hálito não sabe da própria condição, por isso, se você possui dúvidas, vale perguntar a alguém de confiança. Uma vez identificada a halitose, a orientação dos especialistas é procurar um profissional em periodontia que consiga identificar a causa do problema e, consequentemente, o tratamento mais indicado.
Conteúdo UOL

Thereza Christina Pereira Jorge

Iniciamos com Viva com Beleza Envelhecimento Ativo há 10 anos. E estamos aprendendo a Arte de Envelhecer, e que Arte difícil! O site trata da descoberta do meu Envelhecimento Ativo. Consultoria em Envelhecimento Ativo [email protected] Meu nome é Thereza Christina Pereira Jorge, sou carioca, mãe de dois filhos, jornalista. Estudo há sete anos e Envelhecimento Ativo e escrevo sobre isso. Primeiro no blogue Viva com Beleza e agora no site Arte de Envelhecer. Fui repórter-editora nos jornais O Globo e sucursal Rio de O Estado de São Paulo. Trabalhei nas revistas femininas da Editora Bloch e na revista Isto É, também na sucursal. Sou formada em Ciências Sociais pela UFRJ. O site _ https://www.artedeenvelhecer.com.br _ é muito autobiográfico porque estou descobrindo e praticando o que a OMS definiu como Envelhecimento Ativo. Amo a vida e o viver. Tenho apreciado (às vezes) o meu envelhecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo