Nada Muito: Um Inverno Doce

Pode-se falar de doces que sejam benéficos e de outros que causam males á saúde?
Esta é uma das perguntas que faço, no livro Nada Muito -Comer e viver com saúde e prazer, (Rocco) o qual, nada mais é do que uma extensa e minuciosa entrevista com  médico nutrólogo João Curvo, sobre o que poderíamos até chamar de ‘arte de se alimentar’.
Ele foi objetivo e claro quando respondeu: ”Os doces de frutas com pouca adição de açúcar estão entre as melhores opções de sobremesa. Entre eles, goiabada, bananada, geleia adoçada com frutose, fruta assada com canela, fruta desidratada.”
E como este inverno, em todo o país, está sendo bem mais rigoroso que nas últimas décadas – e ainda nos encontramos no início da estação! -, consideramos que o assunto dos doces  vem bem a propósito nesta nossa conversa com vocês.
E os doces light e diet?Indagamos de Curvo. “São bem-vindos para atender aos diabéticos que tinham pouquíssimas opções de doces, biscoitos, sorvetes e bolos, 20 anos atrás.”
E comer um pouco de doce nos intervalos das refeições para aquecer o dia? Engorda? “Não convém criar ou manter um hábito de comer doce nos lanches. Quanto mais se consegue adiar a primeira ingestão de um doce, melhor. Comer doce logo de manhã – por exemplo, mel e geleia — pode  despertar uma vontade de doce que vai persistir por todo o dia. E este doce a mais vai ficar depositado sob a forma de gordura. Onde? Na barriga,” comenta o Dr. Curvo.
Sobre o chocolate, tão caro em dias frios, ele lembra que cem gramas de chocolate contêm, em média, 500 calorias. Numa dieta de 1 200 calorias diárias, diz ele, isto representa quase a metade da cota calórica do dia. “O melhor é deixar o chocolate para ocasiões especiais, já que ele possui um toque mágico.”
Sobre açúcares e adoçantes, vamos reproduzir, na nossa próxima conversa, aqui, a orientação que João Curvo nos dá a respeito, por exemplo, do consumo de aspartame, stevia, açúcar refinado ou mascavo.
E lembre: se pode comer tudo, em teoria. Mas nada desse tudo, muito.

Até a próxima. Bom apetite e um confortável agasalho. 



Léa Maria

Thereza Christina Pereira Jorge

Iniciamos com Viva com Beleza Envelhecimento Ativo há 10 anos. E estamos aprendendo a Arte de Envelhecer, e que Arte difícil! O site trata da descoberta do meu Envelhecimento Ativo. Consultoria em Envelhecimento Ativo [email protected] Meu nome é Thereza Christina Pereira Jorge, sou carioca, mãe de dois filhos, jornalista. Estudo há sete anos e Envelhecimento Ativo e escrevo sobre isso. Primeiro no blogue Viva com Beleza e agora no site Arte de Envelhecer. Fui repórter-editora nos jornais O Globo e sucursal Rio de O Estado de São Paulo. Trabalhei nas revistas femininas da Editora Bloch e na revista Isto É, também na sucursal. Sou formada em Ciências Sociais pela UFRJ. O site _ https://www.artedeenvelhecer.com.br _ é muito autobiográfico porque estou descobrindo e praticando o que a OMS definiu como Envelhecimento Ativo. Amo a vida e o viver. Tenho apreciado (às vezes) o meu envelhecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo