“Para viver melhor, o segredo é aprender com as zonas de longevidade no mundo”

Quem vive mais? Por que se vive mais? Alguém que tivesse as respostas corretas certamente já teria recebido o Prêmio Nobel! Historicamente, todos querem viver mais e melhor e isto tem sido tema de muitas pesquisas. O que a ciência nos mostra hoje é que a nossa vida, a saúde e o envelhecimento dependem de fatores como estilo de vida (em torno de 50%), ambiente (20%), genética (20%) e tecnologia (10%). Por ambiente, devemos entender com quem nós vivemos, mais do que o local em si.
O nosso estilo de vida, que é basicamente estabelecido com quem nós vivemos (ambiente), é o que dita a maior parte da nossa saúde e do envelhecimento.
A OMS, nas suas pesquisas, estabelece cinco pilares sobre os quais os estudos devem se pautar para que possamos aprender o que realmente impacta a saúde e a longevidade. São eles: nutrição, atividade física, repouso e lazer, atividade social e atividade espiritual. 
Os dois primeiros determinantes (nutrição e atividade física) são considerados essenciais, pois realmente impactam diretamente nossa saúde e longevidade.
Os três restantes (repouso, atividade social e espiritual) são chamados de “qualificadores”, pois são os elementos que dão a qualidade de vida ao longo do tempo em que vivemos.
A observação das zonas de longevidade no mundo, as chamadas blue zones, atesta que esses fatores são importantes. É onde se tem dieta saudável e sóbria, sempre em conjunto com família e amigos. Atividade física, principalmente em grupos de conhecidos. Também tempo adequado de repouso e de lazer com família e amigos.
É importante também sentir-se útil, tanto na família quanto na sociedade, e ter uma motivação interior para a vida, um sentido para a vida – os japoneses chamam essa motivação de “Ikigai” – que mantém a motivação para o dia a dia.
Enfim, não há nenhuma pílula mágica para um envelhecimento saudável ou longevidade feliz. Para se viver mais e melhor, o segredo é aprender com os longevos felizes do mundo: estilo de vida saudável em boa companhia e bastante vontade de viver sentindo que vale a pena viver.

Emilio Moriguchi, pesquisador do tema da longevidade, professor da faculdade de Medicina da UFRGS/A série Ideias para o Futuro 60+ tem apoio de Unimed Federação/RS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *