Não só podemos, como devemos, clarear os dentes

Para muitas pessoas é curioso pensar que idosos e clareamento dental são palavras que podem estar na mesma frase. Isso porque é comum a associação dos mais velhos com a falta de dente ou o uso de dentadura. Só que isso é coisa do passado. O clareamento dental devidamente supervisionado pelo cirurgião dentista não é perigoso para a saúde dos idosos e, inclusive, pode até ser benéfico.
É natural que com o passar dos anos, os dentes apresentem alterações, principalmente no quesito cor e desgaste. “As principais causas para isso são cigarro, higiene bucal deficiente e consumo de alimentos e bebidas que podem desgastar e manchar o esmalte dos dentes como refrigerante, café, chás e vinho”, diz Mariele Pototski Amenábar, cirurgiã-dentista e mestre em Odontogeriatria pela Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos.
Pequenos ajustes 
Claro que também existem outras causas como fatores genéticos e uso constante de medicamentos que as vezes são inevitáveis, mas a questão é que se a pessoa mantiver os cuidados necessários com a saúde bucal ao longo da vida, ela pode chegar na fase idosa com todos os dentes e pronta para deixá-los ainda mais brancos e bonitos. No máximo, vai precisar de uns ajustes.
“Normalmente os dentes dos idosos já passaram por muitos tratamentos dentários como restaurações, facetas e coroas e esses materiais não clareiam junto com os dentes, portanto existe o inconveniente de ter que trocar essas restaurações para que então a mudança no sorriso seja completa e satisfatória”, diz a especialista.
Boa combinação 
E essa combinação idosos e clareamento dental é tão boa que Mariele destaca que esse tratamento estético pode, inclusive, trazer benefícios para a terceira idade.
“Alguns estudos sugerem que o agente clareador usado todas as noites em uma moldeira personalizada pelo dentista ajudaria na remoção de placa, redução de bactérias causadoras de cárie e elevação do pH da saliva , ajudando assim na prevenção de cáries em idosos. Principalmente daqueles que por algum motivo não conseguem realizar a higiene bucal de maneira eficiente”, diz a especialista.
E as informações positivas não param por aí. Além do que já foi citado, pessoas mais velhas também sofrem menos com a sensibilidade dental comumente associada a esse tratamento.
“Por causa de certas alterações estruturais dos dentes, que ocorrem devido ao envelhecimento, como a redução do tamanho da polpa (nervo), destruição dos canais dentinários entre outras, a sensibilidade raramente é um problema para o idoso”, diz Mariele.
Atualmente os agentes clareadores de boa qualidade já possuem ingredientes específicos para diminuir esta sensibilidade, que caso ocorra, será passageira, e geralmente de menor intensidade se comparar a um paciente mais jovem.
Pré requisitos 
Para realizar o clareamento é indicado que o paciente passe por uma avaliação com o seu dentista. “Dentes e gengivas têm que estar saudáveis para que possamos fazer o clareamento dental e o paciente fique satisfeito com o resultado do tratamento. Nestas consultas o dentista irá informar qual será o resultado esperado e também saber qual é a expectativa do paciente”, diz a especialista.
E engana-se quem pensa que os cuidados com os idosos durante o tratamento devem ser redobrados. “São os mesmos cuidados para pacientes jovens. Recomendamos evitar alimentos com muitos corantes como café e vinho e atenção especial com a higiene bucal”, diz Mariele.
Depois do tratamento o paciente pode levar uma vida normal, fazendo visitas periódicas ao seu dentista e um retoque do clareamento quando achar necessário, pois dependendo do estilo de vida desta pessoa os dentes poderão escurecer mais rápido.

Do Terra

PS: sou idosa e fiz uma plástica bucal (é um clareamento radical que encapa os nossos dentes) muito bem sucedido no Rio de Janeiro com a Dra. Marcia Rita Adler. E pude pagar mensalmente. Ficou show e minhas gengivas estão muito mais saudáveis. Thereza Christina Jorge, editora do blogue

Thereza Christina Pereira Jorge

Iniciamos com Viva com Beleza Envelhecimento Ativo há 10 anos. E estamos aprendendo a Arte de Envelhecer, e que Arte difícil! O site trata da descoberta do meu Envelhecimento Ativo. Consultoria em Envelhecimento Ativo [email protected] Meu nome é Thereza Christina Pereira Jorge, sou carioca, mãe de dois filhos, jornalista. Estudo há sete anos e Envelhecimento Ativo e escrevo sobre isso. Primeiro no blogue Viva com Beleza e agora no site Arte de Envelhecer. Fui repórter-editora nos jornais O Globo e sucursal Rio de O Estado de São Paulo. Trabalhei nas revistas femininas da Editora Bloch e na revista Isto É, também na sucursal. Sou formada em Ciências Sociais pela UFRJ. O site _ https://www.artedeenvelhecer.com.br _ é muito autobiográfico porque estou descobrindo e praticando o que a OMS definiu como Envelhecimento Ativo. Amo a vida e o viver. Tenho apreciado (às vezes) o meu envelhecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo