Foi o que concluí ao ler o artigo de Fernando Reinach, no Estadão Digital.

Grupo de cientistas demonstrou que um coquetel de cinco drogas é capaz de rejuvenescer seres humanos. O tempo dirá.

A notícia se espalhou como fogo: um grupo de cientistas demonstrou que um coquetel de cinco drogas é capaz de rejuvenescer seres humanos. E mais, o tratamento, testado em um ensaio clínico, não somente interrompe o envelhecimento, mas reverte o processo. Após um ano de tratamento, as pessoas estavam cronologicamente um ano mais velhas, mas fisicamente 1,5 ano mais jovens do que quando iniciaram o tratamento. É fácil entender com um exemplo: você começa o tratamento com 60 anos de idade cronológica e 60 anos de idade física, e após um ano, quando tiver 61 anos de idade cronológica, vai ter 58 anos e meio de idade física. Rejuvenesceu!

A combinação de drogas é a seguinte: hormônio de crescimento recombinante (rhGH, aquele dado para crianças com atraso decrescimento ), dehy dr oepiand roste rone(DHEA, um precursor da testosterona), metformina (o mais comum remédio para diabete ), vitamina D 3 e zinco. Todas essas drogas estão em farmácias, podem ser receitadas, e provocam poucos efeitos colaterais.

Quase saí correndo em direção à farmácia, mesmo porque metformina eu já tomo todos os dias. Mas me contive e fui ler o trabalho científico. Nos dez homens que se submeteram ao estudo, foram observadas várias alterações no sistema imunológico e no metabolismo durante o tratamento que durou um ano. O timo aumentou e o sistema imunológico foi ativado. Essas modificações são esperadas coma administração dessas droga senão são grandes novidades. Ótimo.

Mas aí veio o problema. Como será que os pesquisadores teriam medido o rejuvenescimento? Que proxy teriam usado (oops, desculpe o termo, vou explicar)? Proxy é algo que fica no lugar (substitui) uma medida que não podemos fazer diretamente. Imagine que você quer medir a altura de um grupo de pessoas. Você pode pegar 1 metro e medir cada pessoa diretamente.

Mas imagine que as pessoas estão viajando, mas você tem os sapatos delas. Como sabemos que o tamanho do pé tem uma correlação com a altura da pessoa (quanto maior a pessoa, maior o pé) podemos usar o tamanho do pé como proxy para a altura. O uso de proxy é muito comum, principalmente quando o fenômeno é difícil de medir diretamente. Economistas, por exemplo, muitas vezes usam salário como proxy de felicidade. Um proxy é bom quando ele reflete bem o que desejamos medir (tamanho do pé para altura), pode ser ruim (usar peso como proxy para altura) ou pode não fazer sentido (usar salário como proxy para altura).

Nesse experimento, os cientistas precisam medir o envelhecimento desses dez voluntários após eles terem tomado o coquetel. O envelhecimento é algo complexo e pouco entendido. Durante o envelhecimento nossa pele enruga, o cérebro fica mais lento, os músculos perdem a força e dezenas de outros fenômenos ocorrem simultaneamente em praticamente todos os órgãos. É um fenômeno que começa aos 25-30 anos e progride até a morte. Não dava para medir todas essas coisas.

Assim os cientistas escolheram um proxy para medir o envelhecimento e esse proxy foi a quantidade de DNA metilado presente nas células sanguíneas. A metilação é uma modificação química em nosso DNA que aumenta com a idade cronológica de maneira linear. O que eles fizeram foi medir a quantidade de metilação no DNA de cada voluntário antes, durante, e depois do tratamento. E descobriram que a quantidade de DNA metilado diminuiu ao longo do tratamento. Como ele diminui, concluíram que os voluntários estavam mais jovens.

Ninguém precisa ser muito esperto para saber que isso é um problema. Imagine que essas pessoas continuem a envelhecer no sentido clássico, mas seus níveis de metilação diminuam. Eles ficaram realmente mais jovens? Para ter certeza que o tratamento funciona os cientistas precisam demonstrar que essa diminuição na metilação corresponde a um rejuvenescimento, uma reversão do que observamos durante o envelhecimento. Ou seja, que esses voluntários ficaram com músculos mais fortes, um coração mais sadio, uma memória melhor, apetite sexual aumentado e a pele mais esticada. E finalmente terão de demonstrar que essas pessoas vivem realmente mais tempo. Aí não vamos ter dúvidas de que o tratamento funciona.

Desisti de ir à farmácia. Entretanto, esses resultados têm um lado positivo: como essas drogas estão disponíveis, não será difícil fazer um experimento mais cuidadoso, substituindo esse proxy meia boca por algumas medidas diretas do envelhecimento em um número maior de pessoas. Fico aqui pensando: será que me inscrevo como voluntário nesses novos estudos?

Fico aqui pensando: será que me inscrevo como voluntário nesses novos estudos?

MAIS INFORMAÇÕES: REVERSAL OF EPIGENETIC AGING AND IMMUNOSENESCENT TRENDS IN HUMANS. AGING CELL DOI: 10.1111/ACEL.13028 (2019)

Fernando Reinach

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *