Retrocessos são Incentivos

reeducacao-alimentar-sem-radicalismos

Ontem  você sucumbiu à tentação e comeu aquela barra de chocolate. Tudo bem, continue seguindo em frente com a reeducação, como se nada tivesse acontecido. É esperado que em um momento ou outros nós iremos vacilar, pois somos humanos, e de vez em quando aquele cupcake está bonito demais para resistir.

Mas não é porque escorregamos uma ou outra vez que simplesmente vamos jogar fora todo o trabalho que já realizamos. Comeu demais no churrasco do final de semana? Ok, vamos em frente e continuar no ritmo. Desistir devido a um deslize é pior do que nem ter começado.

Resultados na vida dependem mais da persistência e continuidade do que necessariamente da intensidade. Queremos ver acontecer, e tem que ser agora. Isto é um reflexo da sociedade de consumo instantâneo onde vivemos, e estas atitudes não devem influenciar na reeducação alimentar a que nos propomos, e sim ser encaradas como um pequeno retrocesso, um incentivo para continuar lutando, para chegar no resultado que nos propomos. Por isso pedimos que continue com suas metas e planejamentos. Você tem um caminho a trilhar, e vão aparecer dificuldades ao longo dele. Isto faz parte do crescimento.

Conteúdo enviado por Sônia dos Congelados

 

Thereza Christina Pereira Jorge

Iniciamos com Viva com Beleza Envelhecimento Ativo há 10 anos. E estamos aprendendo a Arte de Envelhecer, e que Arte difícil! O site trata da descoberta do meu Envelhecimento Ativo. Consultoria em Envelhecimento Ativo [email protected] Meu nome é Thereza Christina Pereira Jorge, sou carioca, mãe de dois filhos, jornalista. Estudo há sete anos e Envelhecimento Ativo e escrevo sobre isso. Primeiro no blogue Viva com Beleza e agora no site Arte de Envelhecer. Fui repórter-editora nos jornais O Globo e sucursal Rio de O Estado de São Paulo. Trabalhei nas revistas femininas da Editora Bloch e na revista Isto É, também na sucursal. Sou formada em Ciências Sociais pela UFRJ. O site _ https://www.artedeenvelhecer.com.br _ é muito autobiográfico porque estou descobrindo e praticando o que a OMS definiu como Envelhecimento Ativo. Amo a vida e o viver. Tenho apreciado (às vezes) o meu envelhecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo