Sala de Aula: Costanza Pascolato ensina o Essencial hoje na Moda

Ela é considerada a mulher mais elegante do Brasil no exterior. Costanza Pascolato, 80 anos, coleciona feitos. É a mais completa traducão de Resiliência. Venceu o câncer duas vezes, o Idadismo, se aventurou em amores (foi casada com o compositor Nelson Mota) e agora foi contratada para uma consultoria importantíssima ($$$$$).  Fora o que é também exímia em informática. A jornalista Lilian Pacce é a autora desse delicioso bate-papo. Thereza Christina P Jorge

“A sensação é de que o mundo do Covid-19 teve que buscar novos caminhos, novos valores. Muita gente fala de retorno ao básico, ao essencial. É sobre isso que eu converso com a consultora de moda Costanza Pascolato, que do alto de seus 80 anos já viu muita coisa virar moda e muita moda passar.

Esse vídeo é resultado dos melhores momentos de uma live feita com o time da Shop2gether, uma plataforma de comércio digital fundada por Ana Isabel de Carvalho Pinto e da qual Costanza é consultora há sete anos. Se você gostar, compartilha com os amigos! Sim, faz os 3 Cs: curte, comenta e compartilha!” Lilian Pacce

 

Thereza Christina Pereira Jorge

Iniciamos com Viva com Beleza Envelhecimento Ativo há 10 anos. E estamos aprendendo a Arte de Envelhecer, e que Arte difícil! O site trata da descoberta do meu Envelhecimento Ativo. Consultoria em Envelhecimento Ativo [email protected] Meu nome é Thereza Christina Pereira Jorge, sou carioca, mãe de dois filhos, jornalista. Estudo há sete anos e Envelhecimento Ativo e escrevo sobre isso. Primeiro no blogue Viva com Beleza e agora no site Arte de Envelhecer. Fui repórter-editora nos jornais O Globo e sucursal Rio de O Estado de São Paulo. Trabalhei nas revistas femininas da Editora Bloch e na revista Isto É, também na sucursal. Sou formada em Ciências Sociais pela UFRJ. O site _ https://www.artedeenvelhecer.com.br _ é muito autobiográfico porque estou descobrindo e praticando o que a OMS definiu como Envelhecimento Ativo. Amo a vida e o viver. Tenho apreciado (às vezes) o meu envelhecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo