Um verão à francesa

image003

 

Fácil de preparar, esta Terrine é feita com peixe branco, rende 4 porções e fica pronta em até 50 minutos

Como fazer Terrine de Peixe com Espinafre
Ingredientes:
1 maço de espinafre
1 cebola picada
500g de peixe branco
3 claras
100g Farinha de Trigo Finna Tipo I (sem fermento)
1 colher de sopa margarina Puro Sabor
1 colher sopa de suco de limão
1 colher sopa de salsa picada
sal e molho de pimenta a gosto
200 ml de creme de leite
óleo para untar
Modo de Preparo:
Passo 1 – Unte a forma com óleo e reserve.
Passo 2 – Cozinhe as folhas de espinafre no vapor e forre o fundo da forma com uma parte dessas folhas cozidas. Reserve.
Passo 3 – No processador de alimentos, coloque a cebola, a farinha de trigo, a margarina, o peixe branco e as claras. Triture até a mistura ficar homogênea. Transfira para uma tigela e misture o suco de limão, a salsa, o sal, molho de pimenta e o creme de leite.
Passo 4 – Despeje metade dessa mistura na forma forrada, coloque o espinafre restante sobre a mistura de peixe e cubra com o restante da massa de peixe.

Dica: Você pode adicionar outras ervas da sua preferência à massa. Um toque de tomilho pode deixar a sua Terrine ainda mais especial!

Receita da Finna.

Bon Appétit!

Thereza Christina Pereira Jorge

Iniciamos com Viva com Beleza Envelhecimento Ativo há 10 anos. E estamos aprendendo a Arte de Envelhecer, e que Arte difícil! O site trata da descoberta do meu Envelhecimento Ativo. Consultoria em Envelhecimento Ativo [email protected] Meu nome é Thereza Christina Pereira Jorge, sou carioca, mãe de dois filhos, jornalista. Estudo há sete anos e Envelhecimento Ativo e escrevo sobre isso. Primeiro no blogue Viva com Beleza e agora no site Arte de Envelhecer. Fui repórter-editora nos jornais O Globo e sucursal Rio de O Estado de São Paulo. Trabalhei nas revistas femininas da Editora Bloch e na revista Isto É, também na sucursal. Sou formada em Ciências Sociais pela UFRJ. O site _ https://www.artedeenvelhecer.com.br _ é muito autobiográfico porque estou descobrindo e praticando o que a OMS definiu como Envelhecimento Ativo. Amo a vida e o viver. Tenho apreciado (às vezes) o meu envelhecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo