Banco & idosos: “por um atendimento menos tecnológico”

Autor(a):

Tenho um razoável domínio do computador e suas linguagens. Ainda assim, uma coisa me incomoda. Toda a vez que a gente começa a controlar uma determinada técnica, aparece outra imediatamente mais complexa. 

O ritmo da evolução dos aplicativos e programas é maior do que a minha capacidade de dominá-la. Mas quando vou ao banco, por exemplo, reparo  que muitas e muitos fazem fila para serem ajudados pelo suporte. Eu já consigo lidar com o caixa eletrônica.

E numa iniciativa do Senador Paulo Paim (PT/RS) o Projeto de Lei n° 523, de 2022 que altera a Lei nº 10.741, de 1 de outubro de 2003 (Estatuto do Idoso), para dispor sobre o direito do idoso ao acesso à justiça e a serviços, públicos ou privados, sem a intermediação de plataformas digitais. Em tramitação.

Há uma experiência na Espanha que quero reproduzir aqui. Foi publicada inicialmente no portal R7, depois o Sindicato dos Bancários de Ponta Grossa e Região replicou.

“É muito comum encontrar idosos que pedem ajuda para mexer com os botões e funções dos caixas eletrônicos. E essa é uma situação bem incômoda para eles, não apenas pela demonstração de não-autonomia, quanto pelos riscos de fraudes envolvidos. Com isso, parece que o sistema não foi desenvolvido também para os clientes idosos, como se esses não tivessem direito ao caixa eletrônico.

Foi justamente por isso que Carlos San Juan, de 78 anos, decidiu abrir uma petição na internet há dois meses. Assim, a reivindicação é para que os bancos ofereçam atendimento mais fácil e prático, pois muitos idosos não conseguem usar o caixa eletrônico de forma plena.

Logo em seguida, a petição começou a receber muitas assinaturas, o que demonstra que não apenas o Carlos já tinha notado essa dificuldade. Entretanto, partiu dele o primeiro passo em busca de uma situação que seja mais digna para os mais velhos.

Petição recebe 600 mil assinaturas e vai ao Governo
O caso aconteceu na Espanha, onde a petição teve grande repercussão e angariou mais de 600 mil assinaturas. Todavia, o barulho não parou por aí, já que o assunto foi levado à pauta no Ministério de Assuntos Econômicos e Transformação Digital.

Além disso, a própria ministra Nadia Calviño fez questão de falar sobre o assunto a repórteres na rua. Essas atitudes criaram uma expectativa nos cidadãos, que já começam a cobrar medidas do governo espanhol. Dessa forma, espera-se que o estado se encarregue de criar um protocolo respaldado por lei e que garanta o direito ao caixa eletrônico.

O que foi feito até agora
Não teve como não ceder à pressão popular, de modo que o setor bancário enviou ao governo um documento solicitado por Calviño. Nele, o setor propõe um protocolo de melhoria de atendimento aos idosos, que consiste em oferecer respostas rápidas.

Entretanto, o documento não agradou a todos, visto que se trata de medidas voluntárias, sem garantia de cumprimento pleno. Ainda assim, ele traz sugestões interessantes, como a ampliação do horário de atendimento a esse público, e até mesmo a criação de agências preferenciais.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *