Natalini, um político experiente para a Cidadania do Envelhecimento brasileiro

Autor(a):

O médico carioca Gilberto Natalini, 70 anos, é o único político do coletivo “Velhices Cidadãs”, que já conta com mais de duas centenas de integrantes de todo Brasil.
Foi vereador com cinco mandatos (PSDB e PV) na Câmara Municipal de São Paulo. Já plantou 27 árvores, e além da família tem dois grandes interesses: saúde pública e meio ambiente.
Com o gerontólogo carioca Alexandre Kalache, 75 anos, e dezenas de ativistas, Natalini conseguiu tirar “Velhice” do Código de Doenças da Organização Mundial da Saúde.Agora, se prepara para voltar à política brasileira, divulgando os dois manifestos do coletivo, que sensibilizam à sociedade e à classe política para as desigualdades no envelhecimento brasileiro.

Manifesto aos Políticos (trecho)
Senhor(a) Candidato(a),
O envelhecimento da população mundial cria novas necessidades e demandas em todos os países. No Brasil, as demandas colocadas pelo envelhecimento foram somadas a outras mais básicas e ainda não atendidas, pois envelhecemos em uma condição de marcada desigualdade social, de raça/cor e de gênero.
Cobramos o compromisso em não retroceder em relação aos direitos hoje existentes nas diversas áreas, inclusive direitos previdenciários, benefícios socioassistenciais e transporte público gratuito.
Nenhum direito a menos passa por garantir o seu compromisso no sentido de que haja:
– Planos e orçamentos dos entes federados contemplem políticas públicas que promovam o envelhecimento ativo ao longo do curso da vida e sejam alvos permanentes de monitoramento e avaliação;
– Fortalecimento e expansão da Seguridade Social, com ampla capilaridade das redes de atenção do Sistema Único de Saúde, nos territórios, com enfoque gerontológico, cuidados de longo termo e inserção social voltados a pessoas idosas em articulação com a Assistência Social e a Previdência Social;
– Elaboração de um Plano Nacional para a promoção do Envelhecimento Cidadão, que reúna ações e metas ligadas às diferentes pastas (saúde, educação, transporte, previdência, cidadania, direitos humanos, habitação, trabalho, cultura e lazer, segurança), em consonância com a Década do Envelhecimento Saudável, e etc …

Manifesto à Sociedade (trecho)
Envelhecer é um processo natural da nossa jornada nessa existência.
É uma conquista individual e da sociedade que a cada dia incorpora mais e mais gente acima de 60 anos, numa mudança inédita da pirâmide etária.
E a cada dia aprendemos como viver mais, de maneira saudável e inclusiva.
Mas ainda assim, significativa parcela da nossa sociedade ainda olha para as pessoas mais velhas com um misto de pena ou indiferença, exceto se for alguém próximo ou poderoso.
Esse olhar enviesado, muito presente na nossa cultura, cria preconceitos em relação à velhice e às pessoas mais velhas.
E mesmo instituições voltadas para a saúde e cuidado, também, eventualmente, se vêem, avaliando de maneira equivocada esse período da vida de todos nós. Recentemente, a OMS tentou categorizar a velhice como uma doença. E etc…

Abaixo, o link do podcast da entrevista da revista “Aptare“ com Gilberto Natalini, onde ele detalha metas e estratégias do coletivo “Velhices Cidadãs”, para as eleições de 2022. E também a naturalidade com que chegou, mês passado, aos 70 anos.
Podcast Aptare
https://podcastaptare.podbean.com

Thereza Christina Pereira Jorge

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *