Qual o perfil de um bom Cuidador?

Autor(a):

Os números indicam que a profissão tem ainda mais campo pela frente. A previsão se confirma pelos dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho e Previdência. Segundo o levantamento, a profissão do cuidador de idosos foi a que mais cresceu no Brasil durante a última década.

Passou de 5.263 para 34.051. Em outras palavras, esse foi o tempo necessário para que houvesse um aumento de 547% no número de profissionais. Da mesma forma, quem está de olho nessa realidade tem buscado a capacitação por meio de cursos como enfermagem e de cuidador de idosos.

A oferta de cursos livres também está maior, por isso fica mais fácil encontrar formações com duração que varie entre 80 a 160 horas. É uma opção para quem busca entrar no mercado de trabalho mais rápido, sem cursar uma faculdade de enfermagem, por exemplo.

A remuneração é outro fator que varia bastante. É preciso considerar as horas trabalhadas, assim como os turnos. Por exemplo: quem trabalha à noite ou passa a madrugada com o idoso cobra mais caro pelo serviço. O que também contribui, é claro, é a formação e os demais cursos feito pelo profissional que trabalha como cuidador de idosos.

Alguns cuidados devem ser tomados na escolha desses cuidadores. Janaína Rosa, coordenadora técnica da Home Angels, maior rede de cuidadores de pessoas supervisionadas da América Latina, listou algumas dicas que podem ajudar no processo de seleção do profissional que mais se enquadra nas necessidades de cada idoso.

Comprovação do curso de cuidador

Um dos primeiros passos é se certificar da qualificação profissional do candidato. Algumas habilidades são essenciais e, embora ele não precise ter formação técnica ou superior em enfermagem, é recomendado que tenha frequentado um curso profissionalizante na área de cuidados com idosos. “Esse tipo de especialização ensina práticas para gestão de medicamentos, técnicas de cuidado com higiene, mudanças de comportamentos e cuidados com alimentação”, explica Janaína.

Experiência na área

Por ser um trabalho de contato constante com o idoso, a experiência prévia na área é fundamental e faz toda diferença na contratação. “Um profissional capacitado e com experiência garante ao idoso uma melhor qualidade de vida, pois saberá como se comportar em variadas situações que fazem parte da rotina de cuidados com o idoso, bem como gerenciá-las de forma segura”, aponta Rosa.

Boa comunicação e habilidades criativas

Certificar que o cuidador apresenta habilidades comunicativas também é importante. Isso porque o profissional será o contato direto com o idoso na maior parte do tempo e será o responsável por estimulá-lo a ter mais autonomia e enfrentar as dificuldades que podem ter no dia-a-dia. Boa comunicação e criatividade são, portanto, fundamentais para desenvolver atividades que ajudem o idoso a passar com leveza por essa etapa da vida.

Contratação de empresa especializada

Uma das opções mais procuradas por famílias é a contratação de empresas especializadas. “Além de seguro e contar com profissionais altamente capacitados, a empresa elimina uma série de demandas burocráticas, já que se responsabiliza pela contratação do profissional. Assegura também supervisões constantes para manutenção da qualidade do serviço prestado, gerenciamento de escalas, reposição em casos de faltas e seleção de perfil capacitado para a necessidade do familiar”, conclui Janaína.

https://editalconcursosbrasil.com.br/noticias/2022/08/esta-e-a-profissao-que-mais-cresceu-no-brasil-e-que-promete-vai-crescer-mais/https://www.segs.com.br/saude/353942-cuidadores-de-idosos-confira-dicas-para-ajudar-na-escolha-do-profissional

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *